Embratel Pense Inovação - Só mais um site ConvergeCom

Classmate PC

Laptop educacional supera 1 milhão de unidades no Brasil, mas número ainda é muito baixo

Postado em: 08/12/2014, às 10:31

O Classmate PC, notebook de baixo custo desenvolvido pela Intel em 2006 para atender programas educacionais, atingiu a marca de 1,1 milhão no país. Apesar desse crescimento, número ainda é muito pequeno em relação aos cerca de 43 milhões de alunos matriculados somente no ensino básico da rede pública

O Classmate PC, notebook de baixo custo desenvolvido pela Intel em 2006 para ser usado em programas de inclusão digital em países emergentes, em especial na área educacional, atingiu a marca de 10 milhões de unidades ao redor do mundo, presente em escolas de cem países. Somente no Brasil, o número de equipamentos chega a 1,1 milhão, distribuídos em programas do governo federal e programas de secretarias de educação estaduais e municipais.

Apesar desse crescimento no período, o número ainda é muito pequeno em relação aos cerca de 43 milhões de alunos matriculados somente no ensino básico da rede pública — o número de estudantes matriculados na educação básica do país é de cerca de 53 milhões, segundo dados de 2013 do Ministério da Educação.

A própria Intel, avalia que, apesar do avanço tecnológico, o modelo pedagógico nas escolas do país — e no mundo — também avançou muito pouco, o que é outro inibidor para a expansão dos laptops educacionais. Para a empresa, a tecnologia pode ser parceira do estudante e do professor. Neste ano, a fabricante de chips iniciou a produção de uma nova versão conversível, com funções de notebook e tablet.

Aplicações específicas

A partir de pesquisas etnográficas em escolas ao redor do mundo, a Intel desenvolveu dispositivos tecnológicos e aplicações específicas para o ensino. O Classmate PC foi criado especialmente para uso didático e já é adotado por vários países como Argentina, Brasil, Colômbia, Macedônia, Nigéria, Panamá, Portugal, Uruguai e Venezuela.

Com designs reforçados, o notebook foi pensado para atender as necessidades dos estudantes, suportando quedas da altura da mesa (70 centímetros) e são resistentes a água e ao pó. O modelo é equipado com softwares educacionais que permitem, por exemplo, simular experiências, verificando na prática fenômenos que antes eram traduzidos abstratamente por meio de fórmulas ou conhecidos por teoria. Os estudantes podem gerar gráficos analíticos com base nos dados da observação, compreendendo melhor o conhecimento que está em seus livros. A tecnologia ajuda a modernizar o formato de ensino em disciplinas tradicionais, gerando mais interesse entre os estudantes.

"Nossa experiência com a aplicação de tecnologia na sala de aula tem mostrado que o estudante da geração Y fica mais interessado e seu relacionamento com o professor fica mais amigável, pelo simples fato de que a escola começa a falar melhor a sua língua", comenta Edmilson Paoletti, gerente de desenvolvimento de negócios da Intel Brasil.

Inclusão digital

No Brasil, algumas secretarias de educação aderiram ao uso do Classmate PC em seus programas de educação, buscando essa aproximação do estudante com as atividades da escola. O Estado de Pernambuco, que foi um dos primeiros a aderir ao programa, em 2012, disponibiliza computadores para ajudar nos estudos dos estudantes do ensino médio. O equipamento é uma licença do Estado para o estudante, que pode levá-lo para casa, inclusive, já que o notebook tem tecnologia de segurança, que bloqueia o equipamento em caso de furto.

Os estudantes que não abandonam o curso e não repetem o ano, entre outras exigências, recebem o equipamento ao final de seu período de estudo no sistema estadual. Todo ano, Pernambuco adquire cerca de 100 mil novos equipamentos para novos ingressos no ensino médio, substituindo os equipamentos que deixam o programa com os estudantes egressos. Em quatro anos de programa, mais de 400 mil Classmate PCs foram adquiridos para o programa do Estado.

Uma experiência interessante, também no estado de Pernambuco, é o programa da Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura do Recife. Esse é um programa mais recente, ainda no 1° ano, mas igualmente importante, porque oferece tecnologia para estudantes do ensino fundamental, preparando-os para a rede estadual, que já atua com os Classmate PCs. A diferença nesse caso, é que os estudantes do 8° e 9° anos estudam com modelos conversíveis, que funcionam como notebook e tablet; e os estudantes mais jovens recebem Education Tablets.

Numa iniciativa ligada ao programa "Um Computador por Aluno", o governo federal também aderiu ao Classmate PC, adquirindo cerca de 600 mil equipamentos do modelo clamshell até 2012, para distribuição em escolas estatuais e municipais.

Recentemente, o governo de Goiás anunciou uma nova iniciativa de educação, o programa 'Escola Digital', que irá abastecer a rede pública estadual com 94 mil unidades do Classmate conversível. Além dos equipamentos para os estudantes, o programa ainda contará com cinco mil notebooks para professores e 300 servidores para os centros de dado da Secretaria de Educação. A iniciativa deverá beneficiar 150 mil estudantes e 2,3 mil professores. Serão 173 escolas atendidas, localizadas em 41 cidades goianas.

MOBILIDADE
Pense Inovação é uma publicação produzida especialmente para a Embratel pela TI INSIDE ONLINE, da Converge Comunicações. A reprodução do conteúdo depende de autorização prévia. A Converge Comunicações e a Embratel não assumem responsabilidades sobre mensagens alteradas, replicadas e encaminhadas por terceiros. Você pode entrar em contato pelo nosso Serviço de Atendimento ao Assinante, de segunda a sexta-feira das 09h00 às 19h00, através dos (11) 3138-4619 ou pelo e-mail [email protected]

Produzido por Converge Comunicações. Assine nossa newsletter.