Embratel Pense Inovação - Só mais um site ConvergeCom

Proteção de dados

Prejuízo de empresas brasileiras com perda de dados e inatividade supera US$ 26 bilhões

Postado em: 03/12/2014, às 18:15

Este é o valor total do rombo que as empresas brasileiras tiveram nos últimos 12 meses, sendo que US$ 2,8 bilhões foram com perda de dados e US$ 24,1 bilhões por interrupções não planejadas dos sistemas, segundo o estudo Global Data Protection Index, encomendado à Vanson Bourne pela EMC

A perda de dados e o tempo de inatividade não planejado dos sistemas custaram US$ 26,9 bilhões às empresas brasileiras nos últimos 12 meses, de acordo com o estudo Global Data Protection Index, encomendado à Vanson Bourne pela EMC, fornecedora de soluções de armazenamento e gerenciamento da informação. Deste total, US$ 2,8 bilhões foram com perda de dados e US$ 24,1 bilhões por interrupções dos sistemas.

O levantamento revela que, das 125 empresas brasileiras com mais de 250 empregados consultadas para a pesquisa — mundialmente foram ouvidas 3,3 mil companhias de 24 países —, 62% não confiam integralmente em sua capacidade de recuperar informações após um incidente. Além disso, embora 82% considerem a proteção de dados essencial para o sucesso da organização, 59% disseram ter sofrido perda de dados ou interrupções nos últimos 12 meses.

PowerPoint Presentation

A pesquisa constatou também que 91% das empresas brasileiras estão desatualizadas quanto à maturidade da proteção de dados. Uma prova disso é que nenhuma das organizações do Brasil aparece na análise de maturidade como "líder" em proteção de dados — 9% são "adotantes" e 91% estão desatualizadas. Apesar disso, o país aparece em quarto lugar na análise da pontuação média da maturidade, atrás apenas do Canadá, México e EUA.

Globalmente, o estudo mostra que as empresas perderam, em média, 400% mais dados do que nos dois últimos anos — o equivalente a 24 milhões de e-mails cada uma. O prejuízo em termos mundiais atingiu US$ 1,7 trilhão. Embora, de um lado, o número de incidentes de perda de dados, no geral, esteja caindo, por outro lado, o volume de dados perdidos em um incidente está crescendo exponencialmente.

O EMC Global Data Protection Index mostra que 59% das empresas pesquisadas passaram por perda de dados ou tempo de inatividade nos últimos 12 meses. Na média, as empresas tiveram 17 horas — mais de dois dias de trabalho — de tempo de inatividade inesperado nos últimos 12 meses. Outras consequências comerciais das interrupções foram perda de receita (28%) e atrasos no desenvolvimento de produtos (42%).

PowerPoint Presentation

A pesquisa aponta ainda que tendências tecnológicas como big data, dispositivos móveis e nuvem híbrida criam novos desafios à proteção de dados. O dado preocupante é que 61% das empresas não têm planos de recuperação de desastres para nenhum desses ambientes e somente 4% têm algum plano. Na prática, 55% classificaram big data, dispositivos móveis e a nuvem híbrida como "difíceis" de proteger. Com 34% de todos os dados principais localizados em alguma forma de armazenamento na nuvem, isso pode resultar em uma perda substancial.

SEGURANÇA
Pense Inovação é uma publicação produzida especialmente para a Embratel pela TI INSIDE ONLINE, da Converge Comunicações. A reprodução do conteúdo depende de autorização prévia. A Converge Comunicações e a Embratel não assumem responsabilidades sobre mensagens alteradas, replicadas e encaminhadas por terceiros. Você pode entrar em contato pelo nosso Serviço de Atendimento ao Assinante, de segunda a sexta-feira das 09h00 às 19h00, através dos (11) 3138-4619 ou pelo e-mail [email protected]

Produzido por Converge Comunicações. Assine nossa newsletter.