Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

SindiTelebrasil critica metodologia dos Procons sobre queixas contra setor

Postado em: 01/02/2016, às 20:41 por Redação

O SindiTelebrasil disse, em nota, que a análise dos Procons, que colocou o setor de telecomunicações no topo do ranking dos mais reclamados em 2015, não leva em conta o critério da proporcionalidade sobre o universo total de clientes. “Qualquer índice que não considere esse critério de proporção gera uma distorção nas análises sobre os consumidores e não informa corretamente o público, porque não permite a mensuração sobre o peso que o número de reclamações tem em relação a cada setor avaliado”, diz a entidade.

O sindicato ressalta que, em todo o País, são 360 milhões de clientes de telefonia fixa e celular, banda larga e TV por assinatura. “Só o setor de telefonia móvel tem 270 milhões de clientes no Brasil. Se considerarmos esse universo, verificou que, em cada grupo de 1 mil de clientes apenas 1 cliente procurou os Procons integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor ao longo de 2015”, ressalta.

Segundo a entidade, as prestadoras já vêm adotando uma série de medidas para melhorar o relacionamento com o cliente, como foco na qualidade do atendimento aos consumidores, com treinamento e avaliações dos atendentes, simplificação do acesso do cliente à empresa, ampliação dos canais de atendimento pelo telefone e via internet. “O setor de telecomunicações tem investido cerca de R$ 30 bilhões ao ano, especialmente em expansão de serviços e melhoria da qualidade”, afirmou.

O sindicato disse ainda que, para colocar em prática as novas regras do Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços Telecomunicações (RGC), foram investidos R$ 230 milhões, “uma vez que as empresas tiveram que modificar praticamente todos os seus processos, em mais de 20 diferentes áreas das operadoras, como alterações significativas nos softwares e ferramentas ao treinamento de milhares de pessoas, seja na operação, na gestão ou no atendimento ao cliente. Somente nos call centers, as empresas de telefonia empregam 220 mil atendentes”, concluiu.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top