Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Smartphones de taxistas vão ajudar teles a obter raio-x das redes móveis

Postado em: 11/02/2016, às 14:45 por Fernando Paiva

Os aplicativos de táxi transformaram a vida de motoristas e passageiros. E em breve vão contribuir também para a melhoria da qualidade na telefonia móvel. A fornecedora de soluções WebRadar fechou um acordo exclusivo com a 99Taxis para coletar dados sobre o funcionamento das redes celulares a partir dos smartphones dos 100 mil taxistas que utilizam o app em 300 cidades brasileiras.

A cada minuto cerca de 50 mil eventos gerados pela base de taxistas são enviados da 99Taxis para a plataforma da WebRadar. São dados como o nível de sinal e a localização, o que permite gerar um mapa instantâneo de cobertura de cada operadora ao longo de todo o dia. Também é possível identificar congestionamentos de rede, a partir da informação de chamadas que não foram completadas porque não havia canal disponível; quedas de chamadas; velocidade de dados; perdas de pacotes; identificação de fontes de interferência; entre outras coisas. Ao todo, são mais de 150 indicadores passíveis de serem monitorados. Os dados são enviados junto com as sessões do app e não pesam no plano de dados dos motoristas, garante a WebRadar. O contrato de uso do aplicativo permite essa coleta de dados, que são tratados de forma coletiva e anônima. A WebRadar remunera a 99taxis pelos dados recebidos e está negociando parcerias similares com outros aplicativos, especialmente na área de logística, para conseguir informações de cobertura em estradas.

A coleta de dados de redes a partir dos smartphones de taxistas traz uma série de vantagens sobre outros modelos existentes atualmente. Há, por exemplo, apps de mapeamento de rede via crowdsourcing, como o OpenSignal, mas seus usuários não se movimentam tanto o tempo inteiro pela cidade como os taxistas. Há também teles que lançaram apps próprios para essa finalidade, mas esbarraram no receio dos seus usuários de terem a privacidade invadida. Por fim, há serviços de benchmarking, que botam alguns veículos circulando por alguns dias, em certas ruas, com smartphones conectados a laptops para coletar dados das redes e comparar várias métricas entre as teles. O problema é que custam caro, têm um alcance menor e geram menos dados.

"No universo de táxis são informações 24 horas por dia, praticamente online. É impensável conseguir isso com um serviço de coleta de dados por veículos dedicados. O custo é muito menor, além de ter uma qualidade de dados infinitamente superior", diz Adriano Lima, CEO da WebRadar.

Os dados coletados são tratados automaticamente por softwares de big data da WebRadar e geram relatórios sobre o desempenho das redes das teles. A solução foi batizada como Rocket e será lançada comercialmente daqui a duas semanas, em Barcelona, durante o Mobile World Congress. O público-alvo, obviamente, são as operadoras celulares. Segundo Lima, pelo menos duas teles que atuam no Brasil demonstraram interesse no produto.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top