Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Quer vender mais na Black Friday? Mobilize-se!

Postado em: 26/11/2015, às 16:25 por Fernando Tassinari, da Criteo

Segundo a E-bit, empresa especializada em informações do comércio eletrônico, no ano passado o setor registrou um faturamento de R$ 1,16 bilhão na Black Friday, um crescimento de 51% sobre 2013, consolidando a última sexta-feira de novembro como uma das datas mais importantes para o varejo online, impulsionada por promoções tentadoras e a antecipação das compras dos presentes de Natal.

Para este ano, a expectativa é de que novamente a próxima sexta vai reforçar o caixa dos lojistas virtuais, mas com um cenário econômico mais desafiador é importante que estejam atentos aos investimentos em marketing online e, além disso, implementem uma estratégia multicanal, já que a representatividade do mobile nas compras pela Internet vem crescendo em ritmo acelerado nos últimos meses.

Os números do mercado comprovam a força do mobile no e-commerce. De acordo com o estudo global “Cenário do Mobile Commerce”, divulgado recentemente pela Criteo, o mobile já registrou uma participação de 20% no total das vendas online no Brasil no terceiro trimestre de 2015. No período de julho a setembro, as transações mobile dos maiores varejistas cresceram 24% sobre o trimestre anterior e agora quase um terço de todas as vendas são finalizadas em devices móveis. Entre os varejistas de médio porte, o avanço foi de 35% no período.

Outra tendência apontada pela pesquisa é o aumento das transações em apps, que obtiveram taxas de conversão duas vezes superiores quando comparadas aos desktops e ticket médio mais elevado, de R$ 446,00(*) (US$ 116) contra R$ 385,00 (US$ 100) no desktop e R$ 350,00 (US$ 91) no mobile browser.

Ainda segundo o estudo da Criteo, o device preferido para fazer compras continua sendo o smartphone, que, com telas cada vez maiores, estão sendo mais utilizados que os tablets, representando 77% das transações mobile no terceiro trimestre.

Além de investir em mobile sites e apps para assegurar resultados positivos, os varejistas que quiserem aumentar o market share e as taxas de conversão deverão estar disponíveis aos consumidores em múltiplas plataformas através de uma estratégia “Cross Device”.

A mesma pesquisa da Criteo indicou que nas vendas finalizadas em laptops e desktops, 55% dos consumidores usaram ao menos um outro equipamento para visitar a mesma loja on-line antes de fechar a transação. Entre os que compraram em um dispositivo móvel, 59% dos que utilizaram smartphone e 60% dos que recorreram a um tablet acessaram a loja em um outro device antes de concluir a compra.

E não é só isso. os consumidores que acessam as lojas virtuais em diversos equipamentos têm três vezes mais propensão a finalizar uma transação em um dispositivo móvel do que aqueles que usam apenas um equipamento. Portanto, caros lojistas, fica o alerta: os que não estiverem com suas plataformas mobile já estruturadas, com sites responsivos e apps, podem comprometer suas performances e perder vendas para concorrência.

Mas não basta investir em tecnologia para atender o consumidor em múltiplos canais. De nada adianta manter a loja aberta 24X7, desenhar promoções matadoras e não reservar budget para campanhas de marketing de performance, que se tornaram essenciais na estratégia do varejo on-line. É preciso buscar o consumidor onde quer que esteja navegando, oferecendo o produto certo, na hora certa, ao cliente certo. Com o uso do big data, as chances de conversão são muito maiores e o resultado é mensurável no aumento das vendas dos anunciantes nos canais on-line.

No caso da Black Friday alcançarão melhores resultados os lojistas que souberem como direcionar o budget das campanhas online para aquecer as vendas tanto na própria sexta-feira como nos dias anteriores e logo após, já que muitos consumidores começam a pesquisar produtos e preços antes da data e esperam até o último minuto para garantir ofertas realmente compensadoras.

É importante lembrar também que as vendas seguem em alta até a Cyber Monday, já que uma parcela dos consumidores posterga a decisão de fechar a compra na expectativa de promoções ainda melhores. Por isso, o ideal é que os lojistas invistam em campanhas de CPC (custo por clique) durante todo período pré e pós a data. Eles devem separar um orçamento mais expressivo de publicidade para não perder vendas para a concorrência. É bom não esquecer que Black Friday é somente uma vez por ano e em 2015 será a oportunidade de recuperar um ano que foi mais retraído para os varejistas. A hora é essa!

Outras dicas para o período anterior a Black Friday:

  • Certifique-se de que seus catálogos de ofertas estão atualizados e que contenham opções tanto de produtos únicos como os populares.
  • Gerencie constantemente os CPCs para estar com o estoque preparado para as festas de final de ano.
  • Planeje um orçamento mais agressivo para até três semanas antes dos dias de pico. Isso dará um fôlego para que consiga atender os clientes com excelência.

Outras dicas para o fim de semana da Black Friday:

  • Prepare seus servidores para receber um tráfego intenso de consumidores.
  • Mantenha constantemente os preços e quantidades de produtos atualizados para minimizar frustrações no pós-venda.
  • Concentre investimentos em mídia durante o fim de semana da Black Friday.
  • Tenha em mente que os usuários ainda estão buscando bons preços até o último segundo antes de concluir a transação. Por isso, a oferta de benefícios como frete gratuito e entrega expressa podem ser diferenciais importantes para garantir as vendas.
  • Vincule os investimentos de aquisição e branding (como search) com canais direcionados à conversão, como display retargeting. Isso amplia a visibilidade da loja virtual e aumentas as chances de vender mais.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top