ivan_04
Cinema
25/11/2015, 18:30

"Iván", de Guto Pasko, estreia promovendo debates sobre o tema dos refugiados

O longa-metragem "Iván", do diretor Guto Pasko com produção da GP7 Cinema, tem uma estratégia de distribuição inusitada. O documentário sobre um refugiado sobrevivente da Segunda Guerra Mundial conta com apoios institucionais e mobilização para debates sobre o tema dos refugiados. O longa, distribuído pela Moro Filmes, recebeu apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), que está em uma campanha pelo fim da apatridia, e vê o protagonista do filme como um símbolo de sua causa. Além disso, recebeu apoio dos Escoteiros do Brasil, que estão atuando na campanha Escoteiros Pela Ucrânia, para beneficiar crianças refugiadas do país tema do filme. Também estão sendo organizados debates sobre o tema dos refugiados.

O longa foi contemplado com R$ 200 mil do Fundo Setorial do Audiovisual para o seu lançamento. Segundo Diana Moro, sócia da Moro Filmes, a estratégia para potencializar o lançamento foi se aproximar de instituições e movimentos ligados à causa dos refugiados ou ao país de origem do personagem central, que é ucraniano. "É uma troca. O filme tem um papel muito importante nesse debate. Iván permaneceu apátrida após os anos 1990, até o governo brasileiro ceder cidadania. É o tipo de coisas absurdas que estamos vendo nos dias de hoje", explica.

Em muitos dos eventos relacionados ao filme, estarão presentes representantes das instituições apoiadoras do filme.

A estratégia também segue no mercado internacional. Segundo Diana, o filme tem um sales agent na Europa e está fechando com EUA. "Uma das coisas que levou o FSA a investidor no filme é o seu grande potencial internacional. Mais da metade é falado em ucraniano, com linguagem muito solta", explica. No longa, Iván Bojko – que durante a Segunda Guerra Mundial foi tirado à força de seu país por nazistas, realizou trabalhos forçados na Alemanha e imigrou para o Brasil – volta ao país de origem e encontra amigos e parentes com quem nunca mais teve contato. "Nos Estados Unidos, estamos negociando com algumas celebridades ucranianas para apoiar o filme. Elas já sinalizaram que querem ajudar para haver uma exibição comercial do filme", conta a distribuidora.

O longa estreou no Rio de Janeiro no dia 19 e estreia nesta quinta, 26, em São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Castro (PR) e Campo Largo (PR).

Debates

Debates estão sendo organizados nas primeiras capitais em que o filme estreia: no dia 26 serão realizadas sessões especiais com meia-entrada seguidas de debate nas cidades de Brasília (com presença do diretor Guto Pasko, do embaixador da Ucrânia Rostyslav Tronenko, de Agni Castro-Pita da ACNUR e Leonardo Cavalcanti, professor da UNB e representante do Observatório de Migrações Internacionais) e também no Rio de Janeiro. No dia seguinte, 27/11, haverá também uma sessão com meia-entrada seguida de debate em Porto Alegre, com a presença do diretor e mais seis convidados, entre acadêmicos, magistrados e representantes de entidades.

A intenção é aumentar o número de encontros para discutir o assunto no maior número possível de cidades.

Comentários

1 Comentário

Deixe o seu comentário!

© 0-2016 Converge Comunicações. Todos os direitos reservados.
Top