Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Empresários mostram impaciência com demora nos editais

Postado em: 28/02/1997, às 01:00 por Redação

Os empresários que pretendem entrar no setor de TV por assinatura mostraram, durante o seminário de atualização promovido pelas revistas PAY-TV e Tela Viva hoje, dia 27, que já não têm mais paciência para esperar o início do processo de licitação para novas licenças de cabo e MMDS. "Já estamos há dois anos nessa história, e não temos nada a não ser a Lei de TV a Cabo", declarou um dos mais de 350 empresários presentes. Foi uma das diversas queixas, algumas inclusive explícitas aos representantes do Minicom, Mário Leonel Neto e Ara Apkar Minassian, respectivamente secretário de Comunicações e diretor de Serviços Privados. As reclamações vieram à tona depois que Mário Leonel respondeu, de uma maneira não definitiva, a principal dúvida dos empresários: quando saem os primeiros editais? A resposta do representante do Minicom foi a de que até o final de março serão publicados os textos regulatórios (decretos com os regulamentos do cabo e do MMDS e também as respectivas normas técnicas) e, no menor prazo possível (se o ministério der conta), saem o planejamento dos editais e as primeiras licitações, de um total de 1500. A notícia em si seria boa, se não fosse a mesma de há pelo menos um ano. Os empresários ouvidos por PAY-TV Real Time News foram unânimes em afirmar que o Minicom está perdendo a credibilidade . Todos os textos publicados até agora, segundo os participantes do seminário, tiveram que ser revistos e o processo ainda não decolou. Um dos comentários disparados contra a equipe do Minicom foi sintomático: "os investidores estrangeiros já estão partindo para outros mercados mais ágeis". Segundo Mário Leonel, secretário de Comunicações do Minicom, o motivo dos sucessivos atrasos é o cuidado que está sendo tomado para que não se enfrente uma batelada de pedidos de impugnação depois do processo estar iniciado (ameaça que hoje enfrenta a licitação da banda B), além, é claro, dos escassos recursos humanos dentro do ministério para processar tantas atividades ao mesmo tempo.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top