OUTROS DESTAQUES
Pagamentos móveis
Payleven quer dobrar base até dezembro com apoio de mídia da Band
quinta-feira, 02 de outubro de 2014 , 17h05 | POR FERNANDO PAIVA

O Grupo Bandeirantes se tornou acionista da payleven no Brasil. Como parte do acordo, além de um aporte financeiro feito pelo grupo de comunicação, a operação da One Pay, sua subsidiária na área de recargas para celular via URA e web, será absorvida pela payleven. O controle acionário da payleven no Brasil, contudo, segue nas mãos da payleven global, que tem entre seus acionistas a Rocket Internet.

Há quatro sinergias claras na união entre as empresas. A primeira delas é a possibilidade de utilização dos veículos de comunicação do Grupo Bandeirantes para divulgar a solução de mPOS da payleven. Com isso, espera-se que a base de usuários do seu leitor de cartões no Brasil dobre ao longo deste quarto trimestre, passando dos 45 mil que havia ao fim de setembro para 90 mil, ao fim de dezembro. "A gente vem conversando há muito tempo com o grupo Bandeirantes. Precisamos de comunicação massiva para democratizar a nossa solução junto a microempreendedores", explica Adriana Barbosa, uma das fundadoras da payleven no Brasil.Vale lembrar que alguns concorrentes diretos da empresa, como Cielo Mobile e iZettle (em parceria com o Santander), já lançaram campanhas na TV.

Outra sinergia está na adição do serviço de venda de recarga de pré-pagos dentro do aplicativo móvel da payleven. A novidade será incluída no app em novembro, permitindo que seus usuários comercializem créditos das quatro grandes operadoras móveis que atuam no Brasil. "Nossa expectativa é de que depois do lançamento a gente triplique o volume de recargas da One Pay em um mês. E em seis meses queremos que esse volume cresça dez vezes, graças a outras ações que tomaremos", diz Adriana.

O terceiro benefício é que a payleven terá acesso à base de usuários da One Pay que possuem cartão de crédito. Eles serão o público alvo para quem a empresa oferecerá o seu aplicativo de carteira digital, a ser lançado no primeiro semestre do ano que vem.

Por fim, o fato de o app da payleven passar a incluir venda de recarga pelo celular pode atrair novos usuários para sua solução de mPOS. Adriana lembra que pequenos comerciantes, como jornaleiros, gostam de vender recarga de celular porque é um serviço que atrai consumidores para dentro de suas bancas, que acabam comprando outros produtos.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro independente sobre políticas de telecomunicações e comunicações, organizado conjuntamente pela TELETIME e pelo Centro de Estudos de Políticas de Comunicações da Universidade de Brasília (CCOM/UnB)

14 de fevereiro
Auditório Finatec, DF, Brasil
Top