OUTROS DESTAQUES
Guerreiro votou pelo 1,9 GHz, mas defenderá a escolha da Anatel
quarta-feira, 21 de junho de 2000 , 22h35 | POR REDAÇÃO

Guerreiro afirmou que suas palavras no voto pela freqüência de 1,9 GHz foram as últimas proferidas na defesa desta faixa: "a partir de agora, todos nós da Anatel vamos defender 1,8 GHz", disse o presidente da Anatel. Mas considerando a importância do assunto é importante observar os argumentos de Guerreiro:
Apesar do maior número de países que adotaram o GSM, Guerreiro argumenta que, de acordo com dados da Embratur, 69,2% dos brasileiros em viagem ao exterior têm como destino países que utilizam a faixa de 1,9 GHz para este serviço. Ainda em relação ao turismo, quase 70% dos turistas que nos visitam vêm de países do continente americano.
A opção pela faixa de 1,9 GHz para a segunda geração e 1,8 GHz para a terceira otimizaria, na opinião de Guerreiro, o uso do espectro radioelétrico, pela menor necessidade de uso de "bandas de guarda" (faixas de proteção contra interferências), o que é uma questão estratégica a médio e longo prazos.
Esta melhor utilização do espectro permite ampliar a faixa de retorno do MMDS (atualmente em 12 MHz) para 20 MHz sem maiores problemas, aumentando a competição deste serviço com a tecnologia de cabo.
A consolidação do modelo brasileiro de telecomunicações depende muito mais das atuais operadoras de telefonia fixa e móvel (que operam TDMA e CDMA) do que das novas operadoras. A possível concentração em grandes empresas que prestarão todos os tipos de serviço ficaria facilitada pela escolha da faixa de 1,9 GHz para o SMP.
A importância da consolidação do Mercosul, em que os outros países do bloco já optaram pelo 1,9 GHz, com o conseqüente fortalecimento do mercado e a possibilidade de integração de redes.
A adoção da faixa de 1,8 GHz para o SMP implicará a limpeza de faixa mais complicada que a de 1,9 GHz. Segundo Guerreiro, serão afetados 226 enlaces do serviço fixo e 2.085 ponto-multiponto, sendo que na opção 1,9 GHz seriam afetados apenas 662 enlaces ponto-a-ponto.

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário para esta notícia.

Deixe o seu comentário!

EVENTOS

Principal encontro do mercado de satélites brasileiro

31 de agosto a 1 de setembro
Royal Tulip Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Top