queda (3)
TV por assinatura
29/01/2016, 19:01

TV paga fechou 2015 com uma queda de 2,8%, a primeira desde 2002

As operadoras de TV por assinatura perderam, no ano de 2015, um total de 535 mil assinantes, ou uma queda de 2,8%, fechando dezembro com 19,05 milhões de acessos, segundo dados da Anatel divulgados nesta sexta, 29. A queda anual acabou sendo menor do que o acumulado dos últimos 12 meses registrados em novembro porque dezembro foi um pouco menos ruim para o mercado (perda de 113 mil acessos, contra uma perda de 235 mil acessos que havia sido registrada no ano anterior, e porque o mês de novembro de 2014 havia sido especialmente ruim para o mercado, e agora este mês deixa de entrar na conta de variação anual. De qualquer maneira, foi o primeiro ano em que o mercado de TV por assinatura perdeu base desde 2002.

O mês de dezembro foi positivo para as operadoras Net, que cresceu 28,8 mil clientes, para 7,165 milhões de acessos; para a Sky, que voltou a crescer em dezembro, acumulando 31,17 mil novos assinantes e chegando a 5,44 milhões de assinantes; e Oi, que cresceu 1,4 mil clientes e totalizou 1,168 milhão de assinantes. Quem mais perdeu base foi a Claro HDTV, que viu uma erosão de 113 mil clientes em dezembro, fechando o mês e o ano com 2,732 milhões de assinantes. Com isso, o grupo América Móvil (que inclui a Net) perdeu 92 mil assinantes no mês, totalizando 9,9 milhões de assinantes de TV paga.

Desempenho anual

A Net foi a operadora que mais cresceu em 2015. A expansão da operadora, segundo dados da Anatel, foi de 365 mil clientes, ou 5,3%. Já a Claro HDTV foi a que mais perdeu base no ano, com 650 mil assinantes a menos (uma queda de quase 20%). A Sky perdeu quase 200 mil assinantes em 2015 no Brasil, com uma retração de 3,6%, e a Oi perdeu 134 mil clientes, com uma queda de 10,4%. A GVT (hoje Vivo TV) cresceu 13,7%, ou 121 mil clientes, e a Vivo TV cresceu cerca de 2%, ou 15,22 mil clientes.

Comentários

2 Comentários

  1. Maira C disse:

    Quero só ver a queda de assinantes começar o passaralho dentro das tvs a cabo.
    E viva a Dilma, o PT e os cineastas bolsistas que amam Chico e querem mais é que tudo acabe em marolinha.

  2. Gerci Moreira disse:

    A reportagem é muito boa, Só uma observação e uma breve manifestação, quanto a reportagem acima que chama a atenção pelos números e dados fornecidos dando a impressão para muitos que a queda é devida a desaceleração da economia brasileira, lamento a crise do setor de Tv por assinatura quanto a arrecadação financeira, é menos dinheiro em caixa, e é essa a razão da queixa das operadoras de TV por assinatura, mas o que fazer, ser o mercado mudou e os consumidores também, neste sentido, é fundamental termos a consciência que a perca de assinante do atual modelo de TV por assinatura, só e considerado perca para as próprias operadoras e não para os ex assinantes, pois qualquer pessoa com uma boa internet, poderá ter acesso a milhares de canais de TV em todo mundo sem pagar nada mais por isso, ou seja está acabando aquela velha história de pacote pra isso pacote pra aquilo, observa-se ainda uma especie de balança "aquela antiga", onde a perca de assinante das operadoras de TV por assinatura durante o período mencionado ser dá em relação ao ganho cada vez maior da população em novos meios tecnológicos entre eles celulares tablet notebook computador etc, que permite essa população ter acesso a mais diversidade em relação aos conteúdos ou seja sem pacotes, já os valores são bem menores, ser comparado com os praticados pelas atuais operadoras, neste sentido podemos afirma que a população tem muito mais a comemorar do que a lamentar-se, já as operadoras essas deverá entender as novas tecnologia, e inova ao invés de luta contra ou tentar induzir as pessoas ao erro apresentando números e dados sem considerar as mudanças de cenário com o passar do tempo. Deixo claro que a intenção deste comentário serve somente para chamar os leitores para uma reflexão a respeito do assunto.

Deixe o seu comentário!

© 0-2016 Converge Comunicações. Todos os direitos reservados.