Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Lightweight SOA: o desafio de reduzir custos em TI

Postado em: 01/02/2010, às 13:17 por Redação

O momento atual é de aquecimento de motores para a retomada do crescimento. Diversos projetos que estavam congelados agora estão sendo colocados na fila de retomada. Mas os difíceis momentos dos últimos 12 meses nos ensinaram algumas boas lições que serão muito valiosas à frente. Quando pensamos em SOA, aprendemos que a melhor alternativa é utilizarmos uma abordagem ágil, interativa, leve e focada em resultados – ou Lightweight SOA.
Os projetos de maior sucesso vêm sendo aqueles que conseguem definir uma agenda de entregas práticas com alto valor para o negócio e baixa necessidade de investimentos, que vá adicionando capacidades e maturidade à forma de desenvolver e integrar novas soluções de software. Algumas das lições aprendidas na crise e que ajudaram a moldar essa abordagem Lightweight foram:
• O projeto de implantação de SOA não pode mais ter um aspecto estritamente técnico. Tudo deve estar atrelado a benefícios que podem ser observados pelas áreas de negócio
• Não há mais espaço para projetos grandes, com ROI incerto. A ordem do dia é: investimentos pequenos e rápidos retornos – e isso também se aplica à SOA
• Os resultados devem ser concretos, visíveis no curto, médio e longo prazo
Os ensinamentos acima mostram que SOA não é necessário um investimento alto no primeiro momento. A visão Lightweight SOA traz como principais direcionadores:
• Abordagem Incremental: Baseada em modelos de maturidade que apresentam e balanceiam benefícios e investimentos que levam em consideração toda a tecnologia já existente na empresa como mola propulsora da iniciativa
• Abordagem Ágil: Trabalho dividido em fases curtas com clara definição de metas e benefícios para TI e negócio
• Abordagem Leve: Definição de alterações-chaves na metodologia e uso focado do ferramental já existente na empresa
A grande questão é fazer os investimentos certos por meio de transparência e aumento da ênfase em governança. Escolher as ferramentas certas para governança SOA, que permitam as organizações gerenciar seus ativos, promover o reúso sistemático e manter a qualidade, é essencial para posicionar a empresa num caminho de sucesso. Uma forma que vem se mostrando vencedora na implantação Lightweight de SOA é dividir o projeto em áreas de conhecimento ou "perspectivas" e dividir as fases com ações e entregáveis concretos nas diferentes perspectivas.
As 5 perspectivas utilizadas pela Sensedia em seus projetos de implantação SOA são:
1. Governança dos serviços: saber quais serviços estão disponíveis, quais aplicações acessam e expõem os serviços, quem são os responsáveis por eles, se as pessoas têm os conhecimentos necessários
2. Metodologia: ter os guias corretos para a identificação, modelagem e deploy dos serviços (na granularidade correta, com as assinaturas adequadas)
3. Infraestrutura: se a empresa possui o barramento para a entrega dos serviços, repositório para as pessoas consultarem os serviços disponíveis, ferramenta para monitoração da disponibilidade dos serviços (não necessariamente todos são obrigatórios desde o começo)
4. Mecanismos técnicos: preocupações como segurança de acesso aos serviços, framework de invocação de serviços, garantia de interoperabilidade, forma de testes de serviços
5. Aplicações e Informações existentes: se a empresa está ciente das funcionalidades que, caso estivessem expostas como serviços, trariam valor para a empresa
Definindo a agenda de trabalho baseada em fases curtas com entregáveis mapeados nas perspectivas acima e com benefícios tangíveis para a empresa, a chance de sucesso dos projetos SOA nas empresas serão muito superiores. É possível ter benefícios imediatos focando nas necessidades dos clientes e, mais importante, encontrando a chave para a resolução de problemas.
Os investimentos em SOA rapidamente retornam com a melhora dos processos de negócios e podem ser re-investidos em SOA, iniciando o ciclo novamente. A chave para este retorno de investimentos é começar com pequenos processos de negócios, encontrando o menos eficiente, retirando-o do foco do investimento. Com a redução da ineficiência nos processos, SOA rapidamente retorna os investimentos. A perspectiva Lightweight SOA contribui para diminuição de custo, diminuição de risco, aumento de eficiência, com diminuição dos esforços.

* Kleber Bacili é diretor de tecnologia da Sensedia

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top