Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Indicado de Icahn não pode assumir assento no conselho do Yahoo

Postado em: 01/08/2008, às 20:07 por Redação

A assembléia de acionistas do Yahoo realizada nesta sexta-feira, 1º, trouxe o executivo Jonathan Miller novamente sob a luz dos holofotes. O ex-CEO da AOL, cuja candidatura para o conselho de administração do site de buscas havia sido negociada com o acionista e megainvestidor Carl Icahn, sob a condição de este não lançaria um disputa de votos durante a reunião para substituir os membros do board, acabou ficando de fora devido a uma cláusula de não concorrência em seu contrato com a Time Warner, que o impede de ocupar um assento no conselho do Yahoo e de outros competidores do grupo de mídia, segundo informações do site americano especializado em negócios na área de tecnologia The Deal.com.

Como CEO da AOL – cargo que ocupou de 2002 a 2006, Miller foi responsável pela da transformação da empresa, de mera provedora de serviços on-line para um negócio de entrega de publicidade, e o pivô do acordo fechado com o Google, por meio do qual a gigante da área de buscas na internet pago US$ 1 bilhão para ter 5% de participação na AOL. Ele foi demitido da companhia em novembro de 2006, substituído por Randy Falco, ex-presidente da NBC Universal Television Group.

Além de se livrar de Miller, considerado uma pedra no sapato dos membros do conselho, o Yahoo tentou convencer os acionistas mais irritados, insistindo que havia levado a sério as negociações em relação à oferta de compra, de US$ 47,5 bilhões, feita pela Microsoft, e que a empresa tem boas perspectivas de crescimento para os próximos três anos.

De acordo com Roy Bostock, o presidente do conselho do Yahoo, "a empresa ditou as normas na discussão das propostas com a Microsoft, incluindo uma oferta de aquisição". Ele disse que jamais houve qualquer dúvida de que o conselho estava aberto a uma
negociação com a Microsoft e afirmou não ter compreendido por que a gigante do
software retirou sua oferta.

Os acionistas do Yahoo teriam oportunidade de apresentar perguntas mais tarde, ainda que alguns comentários iniciais tenham deixado clara a insatisfação que vem prejudicando o preço das ações do Yahoo desde que as negociações para uma aquisição plena pela Microsoft foram suspensas, em maio.

Até a conclusão desta edição, a assembléia de acionistas ainda estava em curso em um hotel em San Jose, na Califórnia

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top