Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Alcatel e Lucent confirmam fusão

Postado em: 02/04/2006, às 21:26 por Redação

A Alcatel e a Lucent Technologies anunciaram nesse domingo, 2/4, que chegaram a um acordo para de fusão de ambas as empresas, que incluirá em seu portfólio equipamentos de telefonia fixa, móvel e de serviços. A previsão é que vão ser cortados 8.800 postos de trabalho.

O objetivo, segundo comunicado das empresas, é ?gerar crescimento significativo em receitas e ganhos de acordo com as oportunidades de mercado para as redes de próxima geração, serviços e aplicações, aliado à obtenção de sinergias significativas. A escala, escopo e capacidade mundiais de ambas as companhias combinadas reforçarão seu valor de longo prazo para acionistas, clientes e funcionários?.

A transação, aprovada pela diretoria das duas empresas, será de formas a explorar a complentaridade de cada operação, tendo em à nova geração de redes fixas, móveis e convergentes.

Fusão estratégia

?Essa combinação é uma fusão estratégica entre dois líderes em comunicações experientes e respeitados, que juntos se tornarão o líder global em convergência?, disse Serge Tchuruk, chairman e CEO da Alcatel, que se tornará o presidente não-executivo da nova empresa. ??

Patricia Russo, chairman e CEO da Lucent, que será a CEO da nova companhia, disse que ?a lógica estratégica que conduz a transação é muito interessante. A indústria de comunicação está no início de uma significativa transformação das tecnologias de rede, aplicações e serviços ? que é projetada para permitir serviços convergentes nas redes das operadoras e das empresas, além de uma gama de dispositivos pessoais.

Isto apresenta oportunidades extraordinárias para nossa nova empresa acelerar seu crescimento. A fusão cria um novo competidor na indústria com o mais completo portfólio, posicionado para proporcionar benefícios significativos para clientes, acionistas e funcionários?.

Nova empresa

A nova empresa, cujo nome será definido posteriormente, terá uma capitalização de mercado agregada de aproximadamente 30 bilhões de euros (US$ 36 bilhões), de acordo com os preços de fechamento da sexta-feira, 31 de março.

Com base no ano-calendário 2005, a empresa combinada terá receitas de aproximadamente 21 bilhões de euros (US$ 25 bilhões), divididos de forma praticamente igual entre América do Norte, Europa e as demais regiões do mundo. Em 31 de dezembro de 2005, as companhias combinadas tinham cerca de 88 mil funcionários.

Gerenciamento

A nova empresa será comandada por uma equipe que reflete o balanço entre as duas organizações, levando-se em consideração os melhores talentos de cada uma delas e a natureza multicultural de seus funcionários.

Com início imediato após o fechamento da transação, haverá um Comitê Diretivo que trabalhará com este objetivo, garantindo ao mesmo tempo a continuidade na gestão das duas empresas.

Esse Comitê será comandado por Patricia Russo, CEO, e será formado também por Mike Quigley, COO; Frank D?Amelio, vice-presidente executivo sênior, que cuidará da integração e das operações; Jean-Pascal Beaufret, CFO; Etienne Fouques, vice-presidente executivo, que supervisionará a estratégia para os mercados emergentes; e Claire Pedini, vice-presidente executiva de recursos humanos. Anúncios adicionais sobre a organização e a diretoria da empresa serão feitos futuramente.

Entre a assinatura e o fechamento da transação, Serge Tchuruk e Patricia Russo supervisionarão uma equipe de integração que será nomeada em breve e que procurará garantir as sinergias que terão início assim que o fechamento aconteça.

Transação

Pelos termos do acordo, os acionistas da Lucent receberão 0,1952 de uma ADS (American Depositary Share) representando ações ordinárias da Alcatel (como a empresa combinada) para cada ação comum da Lucent que possuírem atualmente. Na conclusão da fusão, os acionistas da Alcatel terão aproximadamente 60% da nova empresa combinada, enquanto os acionistas da Lucent deterão cerca de 40%.

As ações ordinárias da fusão continuarão sendo negociadas na Euronext em Paris e as ações do tipo ADS representando as ações ordinárias continuarão sendo negociadas na Bolsa de Valores de Nova York (New York Stock Exchange).

A empresa combinada criada a partir dessa fusão em partes iguais será incorporada na França, com escritórios executivos localizados em Paris. As operações norte-americanas terão como base o estado de New Jersey, onde os escritórios globais da Bell Labs permanecerão sediados.

O conselho de administração da nova empresa será composto por 14 membros, que terão igual representação de cada companhia, incluindo Tchuruk e Russo, cinco atuais diretores da Alcatel e cinco da Lucent. O conselho incluirá ainda dois novos diretores europeus independentes, que serão eleitos num acordo mútuo.

A nova empresa pretende formar uma subsidiária independente norte-americana, que manterá determinados contratos com agências governamentais dos Estados Unidos. Essa subsidiária será administrada separadamente por um conselho, a ser composto por três cidadãos norte-americanos independentes aceitos pelo governo norte-americano. Esse tipo de estrutura é rotineiramente utilizado para proteger certos programas do governo em processos de fusões com empresas que não são norte-americanas.

A fusão continuará sendo o parceiro industrial da Thales e seu acionista ao lado do governo francês. Diretores do conselho da Thales nomeados pela nova empresa serão cidadãos da União Européia. Serge Tchuruk, ou um diretor francês ou outro executivo francês da nova empresa será o principal conselheiro na Thales. Além disso, o conselho da Alcatel aprovou a continuidade das negociações com a Thales, objetivando reforçar a parceria por meio da contribuição de certos ativos e uma participação acionária maior na Thales.

A fusão agora é objeto de análises costumeiras do ponto de vista de regulamentação e governos, seja nos Estados Unidos, na Europa ou qualquer outro lugar, bem como a aprovação dos acionistas das duas companhias e outros procedimentos rotineiros. Espera-se que a transação seja concluída entre seis e doze meses. Até que a fusão seja completada, ambas as empresas continuarão a operar seus negócios de maneira independente.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top