Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Pesquisa mostra nível de segurança dos consumidores

Postado em: 02/06/2012, às 20:19 por Redação

Um estudo realizado pela McAfee em 24 países constatou que 83% dos consumidores utilizam solução de segurança básica em seus computadores, enquanto 17% dos equipamentos não possuem um antivírus instalado ou o software estava instalado, mas desativado. A pesquisa foi conduzida por meio da análise de dados de varreduras voluntárias com média de 27 a 28 milhões de computadores por mês, em diversos países, para determinar uma estimativa global do número de consumidores que possuem software de segurança básico instalado.

Em abril deste ano, a McAfee anunciou os resultados da análise realizada com consumidores brasileiros. Foram examinados, em média, 1,1 milhão de computadores por mês, durante um período de dez meses, para determinar a porcentagem de brasileiros que possuíam software de segurança básico instalado em suas máquinas. Pela análise das varreduras realizadas, aproximadamente 85% dos consumidores do País que tiveram seus computadores examinados (conforme mencionado acima) tinham uma proteção de segurança básica em operação¹ e quase 15% dos computadores verificados não tinham um antivírus instalado ou o software estava desativado.

O McAfee AntiVirus Plus detecta e bloqueia instantaneamente os vírus do computador e ajuda a impedir as ameaças da Web antes que sejam baixadas para o equipamento do consumidor. Essa suíte inclui antivírus, antispyware, proteção antiphishing, proteção de identidade e por firewall, além de ferramentas de otimização do computador. O preço do McAfee AntiVirus Plus no site do Brasil é de R$ 89,00.

Análise mundial

Principais conclusões da análise realizada pela McAfee:

• A análise global constatou que 83% dos consumidores mundiais contavam com alguma proteção básica de segurança funcionando,
• 18,1% dos PCs examinados não tinham nenhum software antivírus instalado ou havia um instalado, mas desativado.
• O país com o maior percentual de PCs protegidos com segurança básica é a Finlândia: 90,3% dos seus consumidores estão protegidos e 9,67% não têm proteção.
• O país com o menor percentual de PCs protegidos com segurança básica é Cingapura: 78,25% dos consumidores estão protegidos e 21,75% não têm proteção.
• Os dados sobre os consumidores desprotegidos foram divididos em dois grupos:
o consumidores que não tinham nenhum software de segurança instalado: o país com o maior percentual de PCs sem proteção básica de segurança instalada é a Espanha, com 16,33%;
o consumidores que tinham proteção antivírus instalada, mas desativada: o país com o maior percentual de usuários com proteção de segurança instalada, mas desativada, é Cingapura, com 11,75%.
• Estados Unidos:
o os EUA ficaram nas últimas posições em termos de proteção dos consumidores: 19,32% dos consumidores não têm proteção e 80,65% contam com uma proteção de segurança ativa;
o 12,25% dos consumidores não têm nenhuma proteção de segurança instalada e 7,07% têm algum software de segurança instalado, mas desativado.

Por que os consumidores estão desprotegidos?

A McAfee levantou algumas razões pelas quais os consumidores não têm segurança:

• Os usuários podem não estar acostumados a instalar seu próprio antivírus porque, muitas vezes, o software de segurança vem pré-instalado por fabricantes dos computadores. Eles podem ainda não entender que, depois do vencimento da assinatura de avaliação, não estão mais protegidos.
• Alguns consumidores podem desativar sua proteção de segurança conscientemente.
• Outros usuários de PCs acreditam que não precisam de proteção, se simplesmente seguirem as práticas recomendadas de navegação.

Consequências de computadores desprotegidos

Sem possuir sequer uma proteção básica de segurança, os consumidores podem estar mais vulneráveis a:

• infecções de malwares difíceis de serem removidas;
• perda de dados – os cibercriminosos podem roubar dados financeiros, como nomes de usuário e senhas, por malwares ocultos, como keyloggers (programas de captura de digitação), e usar essas informações para lucrar financeiramente;
• roubo de identidade pela atividade dos hackers, que pode envolver o acesso de cibercriminosos ao PC do consumidor e a exploração de todas as informações pessoais deles.

No dia 2 de fevereiro deste ano, o diretor do FBI, Robert Mueller, advertiu o Congresso dos EUA de que, a longo prazo, as ameaças virtuais serão a maior ameaça ao país. James Clapper, diretor nacional de Inteligência, advertiu que os EUA têm sofrido um aumento gigantesco nas atividades mal-intencionadas dirigidas a computadores e redes dos EUA.

Clapper observou que quase dois terços das empresas norte-americanas relatam ter sido vítimas de incidentes de segurança ou de violações de informação, enquanto o volume de malware nas redes dos EUA mais do que triplicou a partir de 2009. Ele citou estimativas do setor de que a produção de malware atingiu seus níveis mais elevados, com uma média de 60.000 novos exemplares identificados a cada dia.

Metodologia

“Proteção básica de segurança” é definida como tecnologias de antivírus, antispyware e firewall em funcionamento. Essa é a primeira análise do tipo no setor e é considerado o retrato mais preciso da proteção dos computadores dos consumidores até o momento, pois examinou o estado da proteção nos PCs dos usuários, em vez de apenas perguntar diretamente aos usuários sobre o estado da sua segurança.

Os países onde a McAfee realizou as varreduras foram: Canadá, Estados Unidos, Brasil, México; China, Índia, Japão, Coreia do Sul, Malásia, Filipinas, Cingapura, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia, Reino Unido;Austrália e Nova Zelândia.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top