Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Justiça dos EUA vê 'fortes evidências' de acordo ilegal entre Google, Apple e Intel

Postado em: 05/04/2013, às 16:44 por Redação

A juíza da Corte Distrital de San Jose, na Califórnia, Lucy Koh, divulgou parecer nesta sexta-feira, 5, no qual diz ver "fortes evidências de acordos ilegais" entre Apple, Adoble, Google, Intel, Intuit e os estúdios Lucasfilm e Pixar. Uma ação civil, aberta no ao passado, investiga um suposto acordo de não contratação de funcionários entre si, o que, segundo as autoridades judiciais, prejudicaria consideravelmente a competitividade no setor. A sentença sustenta que houve "supressão de direitos dos empregados", pois os funcionários estariam limitados em suas oportunidades de empregos.

O documento divulgado pelo site Silicon Valley expõe a troca de e-mails entre os CEOs, entre eles o ex-líder da Apple, Steve Jobs, formalizando acordos com concorrentes para não contratação de funcionários mais cobiçados, particularmente engenheiros.  Algumas dessas comunicações são bastante explícitas, como uma mensagem do então CEO do Google, Eric Schmidt, dizendo ao ex-CEO da Intel, Paul Otellini, que, se algum recrutador do Google se deparasse com um candidato aprovado para uma vaga vindo da Intel, "o processo de contratação seria encerrado". O executivo ainda completa: "Nós levamos esse tipo de relacionamento muito a sério".

Estima-se que a ação atingirá 100 mil funcionários, o que pode gerar prejuízos para as companhias caso elas percam o processo. O argumento da acusação, considerado pela juíza, é que o procedimento prejudicou a competitividade nas empresas, além de causar danos às carreiras dos indivíduos.

Os acordos que prejudicaram os profissionais foram estabelecidos entre 2005 e 2009, mas o processo foi aberto em 2010 e passou mais de dois anos sob análise. Lucy Koh indicou que a ação deve trabalhar em questões não respondidas pelo processo já aberto, como refinar os pontos de argumentação que atualmente estão muito abrangentes. 

Tags: , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top