Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Mercadante garante que iPhone começa a ser fabricado em outubro e iPad, antes do Natal

Postado em: 05/09/2011, às 21:27 por Victor Hugo Cardoso Alves

Mesmo enfrentando problemas de infraestrutura para colocar em operação a linha de produção do iPhone e do iPad, da Apple, no Brasil – a previsão para o início da fabricação era este mês –, a fabricante chinesa Foxconn deve começar a montagem dos equipamentos em outubro. Essa, ao menos, é a nova previsão feita, nesta segunda-feira, 5, pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante. Segundo ele, a produção do iPhone terá início em outubro e a do iPad, antes do Natal. A fábrica da Apple será instalada no município de Jundiaí, ao lado da Rodovia Anhanguera.

Mercadante ressaltou que a empresa garantiu que a operação não corre nenhum risco e está quase pronta para ser iniciada. O ministro acrescentou que a mão de obra já foi contratada e que o treinamento dos engenheiros para a produção do iPhone já foi finalizado. Ele disse ainda que os engenheiros que serão responsáveis pela fabricação do iPad estão em treinamento na China. “Essa é a primeira fábrica da Apple que é construída fora da China. Por esse motivo, o tempo de adaptação é mais longo. A fábrica já está instalada", garantiu Mercadante, ressalvando que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não investirá nenhum recurso na operação.

Mercadante ressaltou que cinco empresas começaram a fabricar tablets no Brasil: a Samsung, a Motorola, Semp Toshiba, Positivo, e a Aix. O ministro disse também que as fábricas de displays ainda encontram dificuldades para se instalar no país, já que não há, até o momento, nenhuma empresa nacional de tecnologia com capacidade para se associar ao projeto. “E, para nós, só haverá transferência de tecnologia se tiver sócios tecnológicos brasileiros”.

Produção de chips

Apesar das dificuldades para selar parcerias com fabricantes de chips internacionais e estabelecer uma indústria de semicondutores no Brasil, Mercadante ponderou que um primeiro passo será dado com o início das operações da Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada), que irá formar recursos humanos nessa área – um dos principais gargalos do país para deslanchar no segmento. Ele disse ainda que para auxiliar nesse processo, além de parcerias com empresas privadas, neste caso o BNDES entrará como parceiro e concederá financiamento para a montagem das fábricas de chips.

A estratégia do governo para estimular a criação de uma indústria local de semicondutores tende a ser a de estender os mesmos incentivos concedidos à produção de tablets para outras categorias de produtos, como celulares e TVs. “Gerar um mercado interno forte é um fator de atratividade para as empresas. Nós somos hoje o terceiro maior mercado em vendas de PCs do mundo e temos um mercado consumidor de TVs e celulares em ampla expansão. Ao ampliar os benefícios e exigir o uso de conteúdo nacional temos totais condições de ter uma indústria de chips local", avalia Mercadante.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top