Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Aplicativo indica ocorrência de chuvas e tempestades em tempo real

Postado em: 06/10/2017, às 20:04 por Redação

Um aplicativo desenvolvido pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/Inpe) permite a previsão imediata de chuvas e tempestades. Entre as funcionalidades oferecidas pela ferramenta, está a possibilidade de aplicar filtros à pesquisa para que o usuário obtenha avisos sobre tempestades nos minutos seguintes e em determinada distância. Além disso, o usuário pode fazer alertas de chuvas, que serão visualizados por outros.

A ferramenta, batizada de SOS Chuva, pode ajudar a população a se prevenir nos casos de eventos extremos. Até o momento, mais de 60 mil downloads foram feitos. O objetivo principal do aplicativo é levar a informação do tempo diretamente ao usuário. Se a informação chega com rapidez, o usuário pode tomar a decisão.

Satélite

O SOS Chuva foi desenvolvido a partir das imagens fornecidas pelo satélite GOES-16, que cobre toda a América do Sul. O CPTEC recebe os dados desses instrumentos, processa as informações e disponibiliza os produtos meteorológicos, que podem ser acessados no aplicativo e no site do projeto. Os algoritmos e o conhecimento técnico usados para processamento foram aprimorados ao longo de anos por pesquisadores de excelência do Inpe.

Segundo ele, o conhecimento sobre as propriedades físicas das nuvens permitiu o desenvolvimento do aplicativo. "A base desta pesquisa é o radar de dupla polarização operando em Campinas por 24 meses, ou seja, duas estações chuvosas, para capturar eventos intensos de precipitação. Esses dados formam os alicerces do estudo dos processos físicos no interior das nuvens, aprimorando a previsibilidade em curto prazo, a detecção de severidade e a estimativa de precipitação com radar e satélite em alta resolução temporal e espacial", acrescenta.

Além do radar em Campinas (SP), são usados equipamentos meteorológicos do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e do Centro de Meteorologia de Bauru (IPMET/Unesp). Com isso, os pesquisadores conseguiram a cobertura parcial dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e sul de Minas Gerais. Por enquanto, apenas os relatos de chuvas podem ser visualizados em todo o Brasil.

Os pesquisadores lembram que o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) alerta para o aumento da ocorrência de eventos extremos por causa do aquecimento global.

A previsão em curto prazo é uma ciência relativamente nova, e pouco se sabe sobre os processos no interior das nuvens que definem a severidade dos fenômenos. Além disso, os modelos numéricos não têm destreza para previsões de curto prazo.

Tags: , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top