Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Ações do LinkedIn caem 9% após prévia de resultados abaixo das expectativas

Postado em: 07/02/2014, às 15:39 por Redação

A projeção do site de contatos profissionais LinkedIn para o primeiro trimestre e todo o ano de 2014, divulgada junto com o balanço financeiro do quarto trimestre e o ano de 2013, na última quinta-feira, 6, frustrou Wall Street. As ações da companhia no chamado after-hours trading da Nasdaq — negociação após o fechamento do pregão da bolsa eletrônica — tiveram queda de 8,21%, negociadas a US$ 205,10, às 19h59 (horário de Nova York). Os papéis da empresa abriram esta sexta-feira, 7, negociados a US$ 210,19, queda de 6% em relação ao fechamento do dia anterior, quando encerraram o pregão cotados a US$ 223,45. Por volta das 12h45 (horário de Brasília), o recuo atingiu o pico de 9%, com as ações cotadas a US$ 202,51.

Apesar de encerrar o último trimestre e o ano com receita maior que a estimada por analistas, as previsões da companhia para o primeiro trimestre e todo ano de 2014 ficaram abaixo da média prevista. O LinkedIn afirmou que espera obter receita de US$ 460 milhões no primeiro trimestre, abaixo dos US$ 470 milhões esperados por Wall Street, e receita de US$ 2 bilhões em todo o ano, contra a projeção de US$ 2,2 bilhões dos investidores.

Aquisição

Além de divulgar o balanço financeiro, o LinkedIn também anunciou que planeja adquirir a Bright, startup criadora de site de mesmo nome para busca de empregos por US$ 120 milhões. A transação deve ser concluída no primeiro trimestre.

De acordo com o site de tecnologia Re/code, está é a maior aquisição do LinkedIn até o momento , superando grandes aquisições como da SlideShare, por US$ 119 milhões, e da Pulse, por US$ 90 milhões. Os termos do acordo incluem o pagamento de 73% dos US$ 120 milhões em ações, e os 27% restantes — ou US$ 32,4 milhões — em dinheiro.

A startup analisa milhares de dados para chegar a uma nota que mostra se o candidato combina com determinadas vagas. O algoritmo da plataforma leva em conta, por exemplo, as tendências de recrutamento da companhia e as competências mencionadas pelos candidatos em seus currículos.

A compra da Bright pode ser apontada como uma jogada do site para acabar com a concorrência da empresa que vem registrando ascensão no segmento de recrutamento. Até o momento, a startup levantou mais de US$ 20 milhões em rodadas de investimento lideradas pelos fundos Toba Capital e Passport Capital.

Tags: , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top