Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Prefeitura de Manaus economiza 40% como nova plataforma de storage

Postado em: 08/06/2015, às 20:49 por Redação

Em abril 2013, a Prefeitura de Manaus definiu como meta estratégica a modernização de todos os processos da administração municipal, iniciando pelas secretarias de Finanças e de TI.  Nessa mesma época, a equipe de TI deu início aos estudos das tecnologias que pudessem atender as especificações do projeto de modernização.

Para tanto, a equipe de TI definiu três métricas estratégias: identificar novas tecnologias que estivessem alinhadas à modernização das secretarias; melhorar a infraestrutura tanto do data center como a do ambiente que suporta os sistemas tributários do órgão executivo; e que todas as tecnologias que fossem implantadas tivessem longevidade e escalabilidade de cinco a oito anos para  manter o investimento no futuro.

Nesse período, explica Adonai Fernandes, chefe de Divisão de Suporte da Prefeitura de Manaus, o órgão executivo realizou uma série de convênios com fundações e outras prefeituras para conhecer e buscar as melhores práticas na gestão tributária e  tecnológica.  "Estudamos exemplos de estruturas bem-sucedidas de TI e verificamos profundamente a tecnologia adequada às nossas necessidades", conta ele.

A área de TI de Manaus, cidade mais populosa do Amazonas com cerca de 2 milhões habitantes, demanda uma estrutura tecnológica bastante robusta e também cresce rapidamente, necessitando de capacidade de processamento e armazenamento de longo prazo.

Fernandes conta que o planejamento para a modernização foi realizado em cima de uma arquitetura tradicional, com storage, soluções de rede e servidores blade. "Tínhamos uma necessidade imediata de expansão do storage que custaria R$ 3 milhões", informa o chefe de Divisão de Suporte.

Nas andanças pelo Brasil, em busca das tecnologias adequadas ao projeto, a equipe de TI da prefeitura, comandada por Fernandes, foi parar em São Paulo para acompanhar o evento do Gartner em abril de 2014. "Fomos avaliar as tecnologias apresentadas no evento, mas ainda com a ideia da arquitetura tradicional, porém  quando vimos a arquitetura da Nutanix ficamos muito curiosos e interessados", conta ele.

De volta a Manaus, passaram a analisar as tecnologias. "A tecnologia da Nutanix é robusta e extremamente simplificada", afirma Fernandes. A partir dessa análise, ele falou com o integrador que já atendia a prefeitura e também integra a plataforma, solicitando mais informações da tecnologia da empresa. O gerente-geral da Nutanix  foi até Manaus e fez uma apresentação para a equipe de TI.

Tecnologia hiperconvergente

Com o objetivo de conhecer mais sobre a plataforma da Nutanix, em julho 2014 foi realizada uma prova de conceito (POC). O integrador montou um comparativo da solução com a plataforma da IBM, que era utilizada na prefeitura, com storage DS 8000, servidor blade center H, entre outras aplicações.  O ambiente de quatro servidores foi montado em apenas um appliance da Nutanix.

"Todos os testes foram feitos em cinco dias, o acesso à aplicação e ao banco de dados. A estratégia utilizada foi gerar scripts para simular altas cargas de aplicação", diz Fernandes, acrescentando que o planejamento previa cinco dias para a implantação do equipamento. "Nos testes em uma manhã já estava tudo pronto, disponível para utilizar. Ficamos surpresos porque tínhamos como referência arquiteturas tradicionais que demandam quase uma semana."

Em razão da necessidade de concorrência por tratar-se de um órgão do governo, a equipe de TI da prefeitura foi atrás para ver se outros fornecedores que tivessem tecnologia hiperconvergente. "Os fornecedores que encontramos têm caixas separadas. Com a Nutanix é tudo dentro da mesma caixa, processamento, memória e armazenamento", diz Fernandes. O executivo conta também que durante o processo de escolha da tecnologia, uma grande empresa de tecnologia lançou um servidor com chassis da Nutanix. "Aí vimos que a Nutanix veio para ficar."

A definição pela aquisição da plataforma da Nutanix ocorreu em outubro de 2014. Em razão das normas de aquisições em período de eleições, o processo de compra só foi aberto em janeiro. No início de março 2015 foi feita a implantação, que durou dois dias.

"Qualquer nova implantação de appliance da Nutanix é só plugar no rack. A disponibilidade de serviços com essa estratégia possui downtime zero, e a operação é muito mais rápida e segura. Em caso de recuperação dos dados, na arquitetura tradicional leva de dois a três dias, com a Nutanix, é reduzida a questão de minutos porque permite a replicação dos dados de forma quase automática", enfatiza Fernandes.

A alta disponibilidade da estrutura é outro ponto que Fernandes destaca. "É muita simplicidade, muito a frente dos concorrentes. Com base em solução única e integrada, baseada em software, reduzimos custos com: refrigeração, energia elétrica, espaço, manutenção e de equipe de TI".

Data center definido por software

O conceito de data center definido por software oferece mais flexibilidade. "A arquitetura tradicional nos amarra e cria soluções para atender determinadas cargas de trabalho, o que torna o orçamento muito alto. Temos de enxugar, fazer mais com menos. A plataforma nos permite quebrar paradigmas na gestão de recurso e na escalabilidade e convergência de dados. A solução veio agregar à necessidade de modernização", afirma o chefe de Divisão de Suporte da prefeitura de Manaus.

Outro benefício é a comunicação de alta velocidade, pois a empresa já oferece interfaces de 10 gigas em cada servidor. Numa segunda fase de modernização, a prefeitura tem o objetivo de aprimorar a infraestrutura e comunicação do site de backup que fica a 10 quilômetros do data center, onde terá toda a transmissão de forma muito rápida.

O investimento na aquisição de três appliances da Nutanix foi de R$ 2,3 milhões. "O foco principal era o armazenamento. E apenas nisso o ganho foi de aproximadamente 40%. O processamento e memória nem é possível comparar porque a arquitetura tradicional não oferece", explica Fernandes. Na arquitetura tradicional todos os equipamentos custariam R$ 6 milhões (servidores rack, rede SAN, rede Ethernet e o storage).

Tags: , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top