Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Outsourcing: trabalhar em colaboração com o outro é uma tendência a ser seguida

Postado em: 08/10/2007, às 18:50 por Marcelo Roberto PrEsSi

Nos últimos meses, pesquisas e especialistas do mercado de terceirização apontam o crescimento intenso de contratos e negócios de outsourcing de telecomunicações. Creio que, mais do que uma tendência, o outsourcing é uma ótima solução para aumentar de fato, a eficiência de um serviço e, possivelmente reduzir seus custos, principalmente com a mão-de-obra especializada.

O outsourcing dá fôlego às contratantes. Quando uma empresa decide terceirizar serviços, ela ganha em escala, sinergia, incremento de qualidade e, ainda, elimina diversos problemas com a gestão de serviços. Prova disso é o direcionamento que os executivos podem dar ao seu pensamento estratégico e aos recursos para o foco do seu negócio, enquanto outra empresa cuida daquele segmento ou atividade. Ou seja, a contratante vai apenas trabalhar com a gestão de resultados.

No Brasil, o processo de terceirização ganhou força com a privatização do setor de Telecomunicações. A iniciativa partiu das três maiores concessionárias de telefonia fixa, que atualmente têm quase 100% das operações e manutenções realizadas por meio de contratos de outsourcing.

A ?transferência de responsabilidades? para uma terceira parece muito positiva inicialmente, mas também é um tanto arriscada. É possível ganhar agilidade, mas, por outro lado, o serviço pode perder qualidade. Com a terceirização pode-se cortar gastos, mas vale lembrar que manter o foco somente na redução de custos pode levar uma grande empresa ao fracasso.

Por isso, entendo que, ao optar por um contrato de outsourcing, os grandes executivos podem imaginar suas atividades gerenciadas por uma empresa especializada e devem estabelecer como prioridade que essa gestão seja feita com qualidade e competência, além de comprometimento com o negócio deles. Para isso, a "gestão de processos" é um elemento essencial e de referência na co-gestão dos resultados.

Apesar da maturidade, observada principalmente nos setores industrial, financeiro, de telecomunicações e governamental, convencer o cliente que uma prestadora terceirizada é capaz de gerenciar informações internas e confidenciais de forma segura ainda é um dos grandes desafios do setor. Até mesmo por conta da maturidade e do entendimento das empresas sobre o outsourcing de serviços de TI e telecomunicações. Foi dessa forma que o nível de exigência cresceu e também a competição, o que é bom para quem pensa em terceirizar.

A terceirização de alguns serviços é um caminho sem volta. Sinto-me confortável para dizer isso e ainda afirmar que novos contratos devem surgir, pois a adoção do outsourcing está em franca expansão. No entanto, nós, empresas fornecedoras desse serviço, precisamos estar atentas. Estabelecer um relacionamento de confiança e transparência entre terceirizado e contratante é muito importante. Mas, independente do modelo de terceirização, o fornecedor precisa ser parceiro do projeto e trabalhar em colaboração com o outro, o que já é uma tendência a ser seguida.

Gustavo Almeida é diretor de negócios da Montana Soluções Coporativas

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top