Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Estudo aponta baixo crescimento sustentável das empresas

Postado em: 10/10/2005, às 12:27 por Redação

Com base em uma análise das empresas que compõem o S&P Global 1200 (base de dados com desempenho de crescimento e retorno ao acionista), o relatório Growth Triathlon, elaborado pela IBM Business Consulting Services ao longo de dez anos, indica que apenas um terço delas aumentou tanto sua renda quanto seu retorno total ao acionista (TSR, sigla em inglês de total shareholder return) com resultados significativos. Independente da indústria e região na qual estão inseridas, todas essas empresas demonstraram ter uma característica comum: a capacidade para responder rapidamente às oscilações do mercado.

Segundo o estudo, 94% das empresas bem-sucedidas experimentaram pelo menos um ano de crescimento abaixo da média, enquanto que 72% registraram crescimento inferior à média durante três ou mais anos. ?Esses dados comprovam a necessidade de uma estratégia com visão de longo prazo?, afirma Sergio Lozinsky, sócio da IBM Business Consulting Services e líder de Strategy & Change para América Latina.

Das empresas que cresceram além da média de sua indústria durante os dez anos do estudo, apenas 6% mantiveram esse ritmo durante cada ano da década. ?É importante notar que basear a estratégia organizacional em um crescimento sustentável e constante não é necessariamente o melhor caminho?, completa o executivo.

O estudo indica que as empresas devem se destacar em três áreas táticas (3Cs) para tornarem-se bem-sucedidas: compartilhamento, capacidade de seus recursos humanos e convicção na execução. No primeiro caso, o compartilhamento, a maioria das empresas de sucesso hoje repensa a maneira como fazem negócios, formando parcerias para atingir níveis mais elevados de inovação e crescimento. Elas reconhecem que estratégias distintas de crescimento requerem capacidades diferenciadas e novos modelos de negócio. Para tanto, integram tecnologia, processos e pessoas ao longo da cadeia de valor, tornando-se aptas a detectar e responder rapidamente às mudanças do mercado.

Em relação ao segundo ponto, a capacidade dos talentos da empresa é vital para perceber as mudanças mais cedo e direcionar a organização de maneira adequada para essas mudanças. Desenvolvem um ponto de vista para o futuro e refletem uma predisposição a desenvolver iniciativas que suportem seu crescimento. Já no tocante à convicção na execução, as empresas de sucesso possuem uma capacidade de execução superior, ou seja, estão aptas a colocar em prática as iniciativas que suportem seu crescimento, de maneira sustentável. ?Nesse sentido, além de depender de seus talentos, as empresas também dependem da capacidade de seu pessoal em trabalhar em grupo, diminuir burocracias e não ficar demasiadamente presos à hierarquia?, completa Lozinsky.

O relatório Growth Triathlon também contraria uma série de mitos sobre o crescimento dos negócios. O estudo revela que a capacidade de crescimento de uma empresa não está limitada à maturidade de sua indústria ou localização geográfica. Segundo Lozinsky, ?o conceito de que o crescimento de uma determinada indústria está limitado porque esta atingiu a maturidade não é verdadeiro?. Em cada uma das quatro regiões e 18 indústrias pesquisadas, as empresas com melhor desempenho não somente superaram seus pares, como o fizeram com ampla margem. Segundo o estudo, as empresas com faturamento igual ou superior a US$ 10 bilhões são capazes de aumentar sua renda e TSR tão rapidamente quanto seus pares de menor porte.

A pesquisa concluiu, ainda, que um alto nível de crescimento duplica a probabilidade de criação de valor para o acionista. ?As empresas com melhor performance compreendem a realidade contra-intuitiva de que, a longo prazo, a redução de custos seria a forma incorreta de criar valor?, explica Lozinsky. De fato, o maior risco ocorre quando as empresas não apostam suficientemente em seu crescimento e tornam-se incapazes de responder às demandas do mercado.

Mesmo que outras pesquisas tenham apontado que os processos de fusões e aquisições levariam muito tempo para gerar o benefício esperado, ou até mesmo destruiriam o valor das empresas, o estudo Growth Triathlon mostrou que algumas dessas empresas que alcançaram um crescimento superior também utilizaram a estratégia de fusões e aquisições.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top