Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Quase 60% das empresas têm dificuldade para contratar pessoal

Postado em: 11/08/2008, às 12:35 por Redação

O maior desafio das empresas brasileiras suprir a falta de profissionais qualificados, segundo pequisa intitulada "People for Growth", realizada pela revista The Economist Intelligence e patrocinada pela SAP, na qual foram ouvidos 944 profissionais, entre CIOs, CEOs e CFOs de todo o mundo. O Brasil foi um dos destaques do estudo e é o único país da América Latina a apresentar dados que refletem exclusivamente o cenário nacional.

Participaram 88 executivos brasileiros, dos quais 57% apontaram dificuldades para preencher seu quadro de funcionários. Além disso, 47% das companhias nacionais disseram ter limitações para atender as expectativas salariais de seus profissionais mais qualificados, enquanto 41% delas enfrentam problemas para corresponder às expectativas de seus empregados com o pacote de benefícios que concedem.

Segundo a análise, tal índice reflete um conflito identificado como comum às empresas de todas as regiões, além de ainda haver uma grande diferença entre a formação dos profissionais e a expectativa das corporações.

Já com relação a política de gestão, 30% das empresas participantes admitem não oferecer muitas oportunidades para o desenvolvimento de planos de carreira aos funcionários que empregam. Trata-se do conceito de "empresabilidade", termo que se contrapõe a idéia de "empregabilidade" e que, na prática, determina o que uma empresa deve fazer e oferecer para se tornar atraente aos seus profissionais.

Um dos maiores desafios da empresabilidade está diretamente relacionado à qualidade de vida dos profissionais e ao conflito que surge com a adequação entre carreira e vida pessoal. O estudo aponta que 32% dos executivos brasileiros mantêm uma relação desequilibrada entre trabalho e vida pessoal, cumprindo longas jornadas de trabalho que somam mais de 12 horas de atividades diárias.

Como saídas para enfrentar às exigências do atual cenário, as empresas apostam em alternativas como investir em treinamentos e em um modelo de orientação de carreiras. Estreitar a proximidade com instituições de ensino e a adoção de práticas mais flexíveis, também colaboram para garantir a competitividade, indica o estudo.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top