Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Pesquisa mostra que mais de 40% das empresas não estão preparadas para ameaças virtuais

Postado em: 11/12/2012, às 16:16 por Redação

De acordo com a pesquisa realizada pela B2B International, em colaboração com a Kaspersky Lab, as empresas já reconhecem as ameaças virtuais como um dos problemas empresariais mais importantes. Porém, elas afirmam também que não estão prontas para se defender contra esses ataques. O mesmo relatório revela que, em 41% dos casos, a infraestrutura corporativa não tem a proteção necessária para lidar com golpes online.

A situação não é melhor quando o assunto é o crime virtual: 48% das empresas não têm proteção eficaz contra o roubo de propriedade intelectual e 51% dos profissionais de TI pesquisados têm certeza de que sua a infraestrutura de sistemas ficaria impotente diante de uma tentativa séria de espionagem industrial.

A conscientização dos funcionários é um fator crucial na batalha contra os malwares modernos e suas possíveis consequências, porém, ainda há muito a ser feito: 31% dos especialistas pesquisados não estão totalmente conscientes dos atuais cavalos de Troia, nem sobre os meios usados para realizar ataques direcionados contra empresas. Apenas 27% dos representantes entrevistados já tinham ouvido falar do Stuxnet, primeira ciberarma. Deles, um número ainda menor não tinha ciência do cavalo de Troia Duqu, criado para a coleta segmentada de informações confidenciais (13%).

O conhecimento sobre as ameaças modernas entre os profissionais de TI é tão essencial quanto informar os funcionários sobre as principais regras de segurança. Segundo Abelino Ochoa, CEO da Kaspersky Lab para a América Latina, a implementação de políticas e a garantia da conformidade delas ajudam a proteger as empresas contra ataques virtuais.

“As empresas precisam se assegurar que cada terminar esteja totalmente protegido e, para auxiliar o gestor de TI, a Kaspersky disponibiliza um controle de administração que permite garantir a segurança ou mesmo tempo que pode gerenciar as restrições e permissões de acesso à internet dos funcionários entre outras funções com o uso de aplicativos e conexões com dispositivos externos”, afirma o executivo.

A pesquisa ouviu mais de 3.300 profissionais de TI ao redor do mundo, incluindo o Brasil. Todos os entrevistados tinham influência sobre as políticas de segurança de TI, bem como conhecimento de segurança de negócios (finanças, recursos humanos, etc.). Em âmbito global, os entrevistados representaram empresas com três perfis: pequenas empresas (10-99 empregados), médias (100-999 funcionários) e grandes corporações (mais de 1.000 funcionários)..

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top