Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Nova chefe antitruste da UE pede prazo para analisar acusações contra o Google

Postado em: 12/11/2014, às 15:26 por Redação

Em seus primeiros comentários públicos sobre o Google, a nova chefe antitruste da Comissão Europeia, Margrethe Vestager, esclareceu que levará algum tempo para verificar se as alegações feitas pelos concorrentes europeus de práticas anticoncorrenciais da empresa procedem, antes de aprofundar as investigações.

Margrethe disse que quer compreender os pontos de vista daqueles diretamente afetados por práticas de negócios do Google, e ressaltou que as questões levantadas pelo gigante das buscas são "multifacetadas e complexas". "Por isso, vou precisar de algum tempo para decidir sobre os próximos passos", disse ela.

Google tem enfrentado uma enxurrada crescente de críticas na Europa, onde existe uma preocupação generalizada sobre como o domínio tecnológico dos Estados Unidos pode afetar a privacidade das pessoas e a capacidade de empresas rivais europeias competirem de forma eficaz.

Poderosos grupos editoriais alemães e franceses têm desempenhado um papel crucial nessas críticas, o que adiado a decisão do órgão regulador europeu sobre a proposta de acordo antitruste feita pelo Google sobre sua posição dominante em buscas na internet e publicidade online na Europa, ainda na gestão do chefe anterior, Joaquín Almunia. O ex-comissário abriu formalmente a investigação do caso em 2010.

O gigante das buscas pode, teoricamente, sofrer uma multa de quase US$ 6 bilhões. O Google já havia dito que a sua proposta para resolver caso abordava todas as questões levantadas pelas autoridades europeias, além de ter aumentado consideravelmente a visibilidade dos serviços rivais nos resultados de buscas do site.

Margrethe, ex-ministra das finanças da Dinamarca, assumiu o cargo no dia 1º deste mês e herdou também um caso apresentado em 2013 por um grupo de concorrentes do Google, incluindo a fabricante de celulares Nokia e a Microsoft. Neste caso, que está em fase inicial de investigação, o Google é acusado de usar o Android para colocar aplicativos da empresa em posições de destaque na área de trabalho dos dispositivos que utilizam o seu sistema operacional. Com informações de agências de notícias internacionais.

Tags: , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top