Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Procura por mainframe deve continuar a crescer, indica estudo

Postado em: 13/08/2008, às 20:14 por Redação

Uma pesquisa realizada com 1,1 mil empresas que utilizam mainframe em todo o mundo, realizada pela BMC Software, fornecedora de software para aplicações críticas de negócios, revela que as empresas acreditam que a plataforma continuará a crescer e atrair novos projetos.

O estudo também constatou que quase dois terços (63%) das companhias que trabalham com computador de grande porte separado dos outros sistemas disseram que ter compartilhamento de ferramentas e aplicações que medem ambas as plataformas é muito importante, e que pretendem implementar algo semelhante, particularmente no caso de aplicações baseadas em Business Service Management (BSM) como service desk, gerenciamento de mudanças e de serviços de TI.

Surpreendentemente, 29% das empresas utilizam o mainframe conjuntamente com algumas operações distribuídas – como a gerência operacional compartilhada – a fim de criar uma administração comum por meio das plataformas. Outros 38% responderam que quando o mainframe é organizado separadamente dos seus pares, ficam sujeitos a níveis de padrões gerais e diretrizes operacionais.

De acordo com o co-fundador e sócio da Ptak, Noel & Associates LLC, diz Rich Ptak, a proporção dos custos do software em relação ao trabalho do hardware, mostra que os usuários de mainframe podem focar muito mais na obtenção máxima de benefícios da plataforma do que em se preocuparem com suporte e manutenção da plataforma.

O forte suporte para aperfeiçoar serviços e a eficiência provenientes do mainframe emergiu como um importante item nos resultados da pesquisa. Redução de custos e melhoria na produtividade continua sendo os principais motivos dos clientes para investir no mainframe e, por esse motivo, acreditam que a aplicação continuará na agenda dos trabalhos de automação de TI, pois além de minimizar falhas humanas, melhora a conformidade e entrega dos serviços.

A pesquisa também previa uma diminuição no número de respostas sobre legados ou declínio na tendência do mainframe. Notoriamente, empresas da Europa, Oriente Médio e África prevêem um aumento no crescimento da plataforma, e que irão aumentar as instalações em termos de capacidade.

Os clientes mencionaram os custos mais baixo na operação de mainframes do que o que se calcula para a média de TI, apontando para a maior eficiência operacional do ambiente. Os participantes mencionaram o valor da plataforma, salientando especificamente o melhor desempenho no serviço de dados, na disponibilidade e atributos de segurança.

Este ano a pesquisa teve foco no gerenciamento operacional e melhorias de processos. Para 43% dos entrevistados seu ambiente de mainframe é maduro e operacionalmente estável, a surpresa é de que 49% indicaram que suas operações experimentam novos desafios, face ao contínuo crescimento, aumento das exigências de disponibilidade e pressão de conformidade e dos controles.

Quando perguntados sobre a maturidade dos processos, os participantes responderam que as aplicações tais como a gerência das transações e os ajustes são tarefas reativas e as mais imaturas, enquanto as aplicações do fim dos processos tais como o programa de trabalho e de produção são as mais maduras.

A pesquisa contatou ainda que as empresas esperam um aumento da capacidade de crescimento de suas plataformas, devido a um significativo aumento de carga de trabalho, e que o software domina o custo, consumindo 40% do orçamento do mainframe. Isso reflete relativamente o alto nível da automação no gerenciamento de muitos ambientes de mainframe e contrasta com as operações de TI, onde a despesa dominante é o trabalho – software e hardware continuam tendo a taxa mais elevada em aumentos nas despesas, para 53% e 50% dos participantes, respectivamente.

O custo com energia foi destacado como um tema importante para a maioria, 87% das grandes companhias que participaram da pesquisa. Este interesse vem principalmente da Ásia. Além disso, a maioria se autoclassificou como reativos quanto a monitoramento de ambiente e tendem a tratar os problemas como ocorrências.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top