Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

CSU tem aumento de 32,6% no lucro líquido no 2o trimestre

Postado em: 15/08/2011, às 17:32 por Redação

A CSU CardSystem, processadora independente de meios eletrônicos de pagamento, apresentou lucro líquido de R$ 5,9 milhões no 2o trimestre de 2011, uma expansão de 32,6% em relação ao primeiro trimestre do ano e geração de caixa medida pelo EBITDA de R$ 15,9 milhões. Além disso, o faturamento de R$ 109 milhões registrado no período é recorde para a companhia e 8,5% acima do resultado do 1o trimestre de 2011. Na comparação com 2o trimestre de 2010, a evolução foi de 2,4%.
"O resultado consistente apresentado pela companhia no 2T11 comprova sua resiliência no negócio de meios de pagamento e, principalmente, evidencia seu crescimento na unidade de contact center, em busca de melhor rentabilidade", afirma Ricardo Ribeiro Leite, diretor administrativo e financeiro da CSU.
Na unidade de negócios CSU CardSystem, a receita bruta foi de R$ 55,6 milhões, uma expansão de 11,6% sobre o primeiro trimestre. Além do crescimento orgânico da base, o início do faturamento dos cartões Tricard, do Tribanco, foi fundamental para alcançar esse patamar. O número de cartões faturados teve expansão de 27,2% no mesmo período. Ao todo, a CSU processa 24 milhões de cartões.
A unidade de contact center, CSU Contact, terminou o trimestre com receita bruta de R$ 53,5 milhões, crescimento de 5,4% em relação ao 1T11. Quando comparada com o 2T10, a expansão foi de expressivos 21,4%. O avanço reflete o aumento no número de posições de atendimento que alcançou 4.433 no final do período, uma variação de 36,5% ano a ano. A oferta de serviços de maior valor agregado também teve impacto positivo sobre a receita da unidade. "A expansão do número de posições de atendimento é chave para que a empresa eleve suas receitas e amplie rentabilidade, após a maturação das atuais implantações, com a diluição dos custos iniciais característicos desse tipo de serviço", afirma o diretor geral Luis Guilherme Prates. De acordo com o executivo, "não há uma empresa que entregue SLA's (níveis de serviços contratados pelo cliente, na sigla em inglês) de maneira consistente e a CSU trabalha para oferecer esse diferencial".
No 2T11, os custos totais aumentaram 5,8% na comparação com o trimestre imediatamente anterior, percentual inferior à evolução de 8,2% da receita líquida no mesmo período. Assim, o lucro bruto se expandiu em 15,8% trimestre a trimestre, retomada esta que se refletiu também na expansão da geração de EBITDA e de lucro líquido. "A companhia implementou um programa de gestão criteriosa de seus gastos, sem perder foco na excelência dos serviços prestados", afirma Leite.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top