Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Google e Wikipedia agendam protestos nos EUA contra leis antipirataria online

Postado em: 17/01/2012, às 14:32 por Redação

A enciclopédia online Wikipedia anunciou que irá retirar seu site do ar nos Estados Unidos a partir da meia-noite desta terça-feira, 17, em protesto aos polêmicos projetos de lei antipirataria Stop Online Piracy Act (SOPA) e Protect IP Act (PIPA), que devem ser votados pela Câmara de Representantes e o Senado americanos, respectivamente. As leis estabelecem punições rígidas aos sites que mantiverem conteúdos não autorizados em suas páginas, mesmo que sejam publicados por usuários. O Google, por sua vez, irá inserir um link explicativo sobre sua posição contrária às leis, abaixo da página inicial.

Vários sites apoiam ou devem aderir ao blecaute, entre o PayPal, Yahoo e as redes sociais Twitter e Facebook. Em nota divulgada em seu site, a Wikipedia explica que o protesto deve durar 24 horas, período em que suas páginas ficarão inacessíveis aos usuários. "Esta é uma ação extraordinária para nossa comunidade", explicou o fundador da Wikipedia, Jimmy Wales. "Enquanto nos arrependemos de suspender o acesso à Wikipedia, mesmo que por um segundo, nós não podemos ignorar o fato de que a SOPA e a PIPA impedem a liberdade de expressão nos Estados Unidos e abrem um precedente assustador de censura da internet no mundo", ressaltou.

O blecaute, no entanto, foi criticado pelo CEO do Twitter, Dick Costolo. "É muito bobo. Fechar um negócio mundial como reação a uma política nacional é tolice”, publicou em sua página no microblog. Já o Google divulgou nota esclarecendo sua posição. "Como muitas empresas, empreendedores e usuários da internet, nos opomos às leis porque elas tecem maneiras espertas para punir os sites, sem antes consultar as empresas americanas sobre censura na internet", disse a porta-voz da empresa. "Vamos nos juntar a inúmeras companhias de tecnologia e destacar a questão na nossa página inicial", completou.

O gigante de buscas é financeiramente impedido de retirar sua página do ar. Como arrecada milhões por meio de anúncios publicitários em suas páginas de buscas, 24 horas sem seus serviços poderiam acarretar em uma perda considerável para a empresa.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top