Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Global Crossing mira no IPv6

Postado em: 24/10/2005, às 17:59 por Redação

A Global Crossing anunciou recentemente a disponibilidade global de IPv6 em sua rede nativa central, posicionando a empresa na linha de frente dos provedores de serviços de rede.

O IPv6 promete simplificar as comunicações móveis IP com roteamento aprimorado e capacidades de segurança. O governo dos EUA determinou que suas instituições adotem o IPv6 em suas redes centrais, até 2008.

Para falar sobre IPv6 e os próximos passos da empresa, Gilberto Silva, diretor-geral da Global Crossing no Brasil, falou para TI Inside:

P -O que a Global Crossing vai apresentar durante o Futurecom?

R – O foco da Global Crossing no Futurecom é reforçar os produtos de valor agregado ? elaborados para atender às necessidades das operadoras e dos clientes corporativos ?, que fornecem tecnologia, segurança, suporte e controle superiores. Como a primeira rede integrada global baseada em IP do mundo, a Global Crossing conta com uma abordagem distinta à convergência IP, baseada na implementação de uma única infra-estrutura de comunicação, capaz de suportar a transmissão de voz, dados e mídia, sobre uma única conexão física, além de proporcionar um acesso seamless para aplicações e uma ampla gama de soluções gerenciadas.

P – Todos os serviços hoje fornecidos pela Global Crossing são em IP?

R – A Global Crossing oferece uma gama de serviços IP totalmente integrados e globalmente interoperáveis, incluindo o serviço de IP VPN, serviço de VoIP, Vídeo IP, serviços de Ethernet IP, VPN Remota e Acesso à Internet. Todos esses serviços são transportados por nossa rede IP altamente segura, que é gerenciada e operada de ponta-a-ponta. Entretanto, a nossa rede também suporta tecnologias legadas, o que nos permite fornecer serviços customizados ? por exemplo, serviços tradicionais de voz, ATM, Frame Relay. Continuaremos a oferecer IP e produtos legados, o que possibilitará, às operadoras e às empresas, realizar a convergência para o IP em seu ritmo.

P -Como as grandes empresas têm reagido à tecnologia IP? Ainda é vista com cuidado ou graças aos preços mais em conta já caiu nas graças das corporações?

R – Atualmente, a convergência é dirigida pelas demandas de negócios, além das economias de custos oferecidas pela VoIP. Também pode melhorar a produtividade, e otimizar a rede existente da empresa. Trata-se de um escopo muito maior ? a convergência de comunicações no trabalho, em casa e as comunicações móveis, com uma ampla variedade de aplicações que funcionam de maneira seamless em uma infra-estrutura baseada em IP. Cada mercado possui uma dinâmica diferente; entretanto, como uma tendência em geral, vemos uma rápida adoção da convergência IP em todo o mundo e na América Latina. Algumas empresas começam a implementar programas-piloto para testar o IP, vendo os benefícios da convergência se tornarem claros e tangíveis e resultando em sua completa adoção.

P -Quais seriam as barreiras a se enfrentar?

R – A implementação de uma rede convergente pode ser complexa, especialmente quando você considera os desafios em torno da tecnologia, segurança, suporte e parâmetros de controle, para capacidades sob demanda e facilidade de uso. A Global Crossing oferece exatamente isso. Enquanto as empresas estão cada vez mais adotando a convergência IP, ainda há alguns negócios que não reconhecem os benefícios da convergência e que, portanto, não vêem a necessidade de fazê-la. Mas os benefícios da convergência são claros. Os analistas de indústria concordam que uma infra-estrutura de rede convergente pode diminuir os recursos corporativos exigidos e aprimorar a eficiência de aplicações, resultando na redução do custo total de propriedade.

P – Na prática, o que muda com este padrão IPV6?

R – Os principais recursos do IPv6 são uma variedade de aprimoramentos e melhores eficiências, tanto para os clientes corporativos quanto para os provedores de serviços, incluindo maior espaço de endereços, melhor eficiência de roteamento, mais segurança, mais eficiência de utilização dos recursos de backbone, designação facilitada de endereços, mobilidade de hospedagem, suporte para multihoming entre redes múltiplas, tempos reduzidos de turn-up e mais baixos custos gerais e de administração. Além disso, ao permitir que os dispositivos sejam configurados automaticamente em sua conectividade de Internet, o IPv6 dará apóio à esperada explosão de dispositivos dinamicamente conectados à rede, incluindo PDAs, telefones celulares, televisões conectadas à Internet, segurança doméstica e sistemas HVAC, e aplicações domésticas ?inteligentes?.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top