Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Caixa repudia suposto favorecimento à Cisco em licitação

Postado em: 24/10/2007, às 21:57 por Redação

A Caixa Econômica Federal repudiou, em comunicado à imprensa, matéria publicada nesta quarta-feira (24/10) pelo jornal Folha de S.Paulo, segundo a qual gravação da PF sugere doação de R$ 500 mil da Cisco ao PT, por meio da qual a empresa buscaria benefício em licitação da Caixa. Em pedido de direito de resposta enviado à direção de redação do jornal, a assessoria de imprensa de instituição financeira diz que ?Folha de S. Paulo pratica um jornalismo parcial e irresponsável? ao citar a Caixa Econômica Federal na matéria e que mente ao afirmar que ela não se manifestou.

No pedido enviado ao jornal, a assessoria de imprensa da Caixa diz que em nenhum momento os repórteres citaram qualquer suposta gravação envolvendo o nome da instituição financeira. Essa omissão, segundo o documento assinado por Gabriel de Barros Nogueira, assessor de imprensa da Caixa, ?demonstra má fé da reportagem, fere as normas do bom jornalismo e o Manual de Redação da própria Folha de S. Paulo. ?Estranhamente, nenhum dos dois repórteres assina a matéria e sim duas outras jornalistas que não procuraram esta assessoria?, prossegue o texto.

Em comunicado, a Caixa diz que não possui qualquer contrato com a Cisco e ?que todos os equipamentos fabricados pela empresa foram adquiridos em licitações públicas, onde se assegura integral publicidade e transparência?. ?Os vencedores dos últimos pregões, de 2000 a 2007, onde estão incluídos produtos da empresa em questão, foram as empresas Damovo, Conecta, CPM, Telefônica, Medidata e IBM?, diz o comunicado.

A Caixa diz considerar lamentável a divulgação ?irresponsável de ilações descabidas?, ao citar nomes de seus dirigentes, no intuito de esquentar a matéria.

O comunicado da Cisco sobre a matéria da Folha é mais evasivo ao dizer que a empresa não pode confirmar as alegações. ?Nosso foco imediato é entender melhor os fatos enquanto continuamos cooperando com as autoridades brasileiras e seguimos com uma investigação interna sobre a situação, para assegurarmos que fornecemos a informação mais exata possível?, diz o texto. E prossegue: ?Neste momento, não temos razão para acreditar que a Cisco concedeu valores de modo inapropriado. Qualquer ação de funcionário da Cisco para induzir que terceiros façam um pagamento como este mencionado estaria em conflito direto com o Código de Conduta de Negócios da Cisco e, conseqüentemente, seria inaceitável?.

A nota termina dizendo que a Cisco tem um severo código de conduta de negócios que seus funcionários assinam todo ano. ?Este código contém instruções e procedimentos claros para se fazer negócios com organizações públicas, privadas e instituições governamentais. Se forem constatados erros, tomaremos as medidas necessárias. A cultura e a integridade de nossa empresa impõem esta conduta.?

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top