Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Setor de TI reivindica maior participação na gestão do BH Tec

Postado em: 24/10/2007, às 21:56 por Redação

A participação mais efetiva do setor de tecnologia da informação na gestão do Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH Tec) foi uma das reivindicações apresentadas pela Fumsoft (Sociedade Mineira de Software) em reunião na semana passada na Câmara Municipal. O encontro foi promovido pela comissão especial de estudo sobre o setor de informática e contou com a presença de representantes de várias entidades ligadas à questão.

O presidente da Fumsoft, Welington Teixeira Santos, que também representou no evento o Sindicato das Empresas de Informática de Minas Gerais (Sindinfor), defendeu que o Conselho Empresarial de Informática (Ceinfor), que reúne as quatro entidades do setor, tenha uma cadeira no conselho de administração do BH Tec. ?Sempre apoiamos o empreendimento de forma ativa, mas agora precisamos oficializar a participação na gestão da casa que estamos construindo e vamos habitar?, observou.

Ele apresentou, ainda, outras duas preocupações relativas ao BH Tec. A primeira diz respeito à não existência de infra-estrutura tecnológica para as empresas que vão se instalar no parque. A segunda consiste na falta de um plano de ocupação territorial, uma vez que mais de 40 empresas associadas já demonstraram interesse em se mudar para o parque tecnológico, o que gera uma demanda por uma área de 30 mil metros quadrados. ?Esses empresários estão aguardando uma direção para planejarem o futuro dos seus negócios?, comentou Santos.

O diretor-presidente do BH Tec, Clélio Campolina, afirmou que fará o possível para encaminhar as reivindicações e voltou a dizer que o cronograma está atrasado, embora existem alguns avanços como a aprovação do projeto do edifício sede. As obras devem começar no início de 2008 e terminar no fim do mesmo ano. Outra pendência era a mudança do uso e ocupação do terreno, para permitir a ampliação da área construída. A solução será um projeto de lei que será encaminhado ainda este ano.

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top