Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

WiMax móvel ganha primeira demonstração pública

Postado em: 27/09/2007, às 22:02 por Samuel Possebon, de Chicago

A Motorola fez a primeira demonstração pública da tecnologia móvel para WiMax durante o WiMax World, que acontece esta semana em Chicago, nos Estados Unidos.

Com quatro células distribuídas pela cidade, a empresa procurou mostrar a capacidade de handoff, ou seja, mudança de células sem perda da conexão, durante o percurso de um barco que navegou cerca de 6 quilômetros pelo Chicago River (cruzado por dezenas de pontes metálicas e confinado em um canal cujas paredes têm mais de 10 metros de altura).

Com o sinal sendo transmitido para aparelhos celulares com chip para recepção de WiMax, notebooks e para CPEs (terminais), a demonstração funcionou, com apenas pequenas interrupções, já que as células estavam posicionadas no topo dos edifícios.

"É um momento histórico. Havíamos feito experiências controladas e uma pequena demonstração para alguns clientes durante o 3GSM em Barcelona (Espanha), mas o que pode ser visto aqui é a tecnologia funcionando na prática", comemorou Jaime Borras, vice-presidente de tecnologia e inovação de terminais da Motorola.

Na verdade, toda a expectativa sobre o desenvolvimento do WiMax está depositada nas primeiras operações em grande escala nos EUA, que começam este ano com a Sprint Nextel (Xohm) e com a Clearwire. A Sprint começa justamente por Chicago, paralelamente a Washington e Baltimore.

Após a tensão da primeira demonstração de um serviço de WiMax móvel funcional, a Motorola aproveitou para comemorar. Assim, nesta quarta, 26, durante o evento WiMax World, Fred Wright, vice-presidente sênior de celular e WiMax da empresa, foi enfático: "WiMax é a coisa mais importante que já aconteceu no mundo wireless desde a invenção do celular."

Salto

"Há pouco mais de um ano, o acesso banda larga por redes wireless era apenas 2% do total, e hoje já é 18%, ou seja, 73 milhões de usuários, ante 343 milhões que têm acesso banda larga por redes fixas. Isso nos faz acreditar que o futuro da banda larga é wireless", disse Wright.

A empresa aposta que o crescimento pode ser exponencial considerando que há 1.272 licenças de uso de faixas do espectro que podem ser aplicadas ao WiMax no mundo, sendo 580 na faixa em 2,5 GHz, 563 em 3,5 GHz e 76 em 2,3 GHz.
"Outras tecnologias similares de banda larga wireless, como LTE, não chegam antes de 2010 ou 2011. O WiMax chega dois anos antes, o que dá uma grande vantagem aos operadores", acrescentou Wright.

Para Sean Maloney, vice-presidente executivo da Intel (uma das empresas que mais aposta no WiMax), haverá em 2008 três grandes operadores de WiMax, e a fase móvel da tecnologia estará a pleno vapor. "A rampa de adoção da banda larga é muito parecida com o que foi a curva de adoção do telefone celular, então podemos prever histórias parecidas na adoção da banda larga móvel", disse Maloney.

América Latina

Segundo Tomhas Mitoraj, diretor de WiMax da Motorola para a América Latina, a Sprint foi quem "colocou fogo" no mercado de WiMax ao adotar a faixa de 2,5 GHz para sua plataforma. Perguntado se não faltaria para o mercado latino-americano um impulso para o WiMax como foi o da Sprint Nextel nos EUA, Mitoraj deu a entender que as grandes operadoras entrarão em breve nesse mercado.

"Na América Latina, temos conversa com uma dúzia de grandes empresas, das quais pelo menos metade são nomes bem conhecidos da área de telecomunicações. O interesse das teles é muito maior do que se vê na superfície. É só observar que no Chile a Telmex já comprou uma empresa que tem a licença de uma faixa para WiMax e no Brasil a Telefônica investiu na TVA, que tem várias licenças na casa dos 2,5 GHz", diz ele.

A todo momento, os fornecedores de plataformas WiMax, não apenas a Motorola, gostam de enfatizar que os custos da tecnologia criam grandes atrativos para países em desenvolvimento, como o Brasil.

Tanto que a primeira operação real de WiMax da Motorola está em funcionamento no Paquistão. "Fazendo uma comparação com plataformas de ADSL e cabo, podemos dizer com certeza que o custo de instalação do WiMax é menor, o custo de operação é similar e o custo de modem é ainda mais alto, cerca de duas vezes o que é para estas tecnologias. Mas acredito que em 2009 o custo geral já será muito menor em todas as etapas do processo.?

Tags:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top