Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Proteste afirma que lançamento de 4G no Brasil é 'propaganda enganosa'

Postado em: 29/04/2013, às 16:38 por Redação

A associação de consumidores Proteste e a Associação dos Engenheiros de Telecomunicações (AET) não estão satisfeitas com o lançamento comercial do 4G no Brasil. As entidades enviaram ofício à Anatel nesta segunda-feira, 29, questionando as ofertas, alegando que as teles estão oferecendo modelos 4G que "sequer operam na banda de 2,5 GHZ". Para a entidade, as teles estão fazendo "propaganda enganosa porque aparelhos e planos mais caros acabarão por ser operados em frequências destinadas ao 3G".

A Proteste diz que está criticando "o adiantamento da venda de planos e equipamentos, antes de a frequência de 700 MHz estar operando, pois sabemos que no 2,5 GHz o alcance é de pouca abrangência, e além de tudo ainda temos poucas ERBs. Ou seja, até que o 700 MHz esteja sendo operado pelas teles, é muito provável que quem pague por 4G tenha o serviço 3G".

Em comunicado, a associação reclama ainda que há aparelhos "sendo vendidos como 4G que não operam na frequência de 700 MHz", alegando que o usuário terá que, eventualmente, trocar de celular ou tablet para usar o novo espectro. A questão é que operadoras e fabricantes não têm obrigação de vender dispositivos capazes de funcionar em 700 MHz para o LTE, já que a licitação no Brasil ainda nem ocorreu. Ainda assim, a entidade diz que "não é aconselhável o consumidor investir em uma tecnologia ainda cara, compatível com poucos celulares e disponível ainda em poucas regiões de algumas cidades", referindo-se à faixa de 2,5 GHz.

A Proteste chega a dizer que "há dúvidas sobre em quais faixas de frequência funcionará o serviço", criticando o "baixo desempenho de cobertura (de 2,5 GHZ), especialmente em locais mais fechados, o que implicará na necessidade do respectivo terminal operar utilizando a infraestrutura relativa ao serviço 3G para estabelecer a comunicação desejada", supostamente sobrecarregando a rede de terceira geração. A Proteste cita comentários recorrentes do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que alega que o lançamento do 4G desafogaria a rede de terceira geração

Lançamento do 4G

Nesta terça-feira, 30, extingue-se o prazo para o lançamento comercial obrigatório do serviço de 4G nas cidades-sede da Copa das Confederações, conforme edital de licitação da Anatel. As operadoras Claro e Oi já ofertam os planos LTE, enquanto Vivo e TIM devem fazer o lançamento na data limite. Ao contrário do que afirma a Proteste, pelo menos nas informações oficiais divulgadas pelas teles até esta segunda-feira, conforme apurou este noticiário, não há nenhum aparelho (smartphone ou modem USB) sendo vendido como LTE no Brasil que não opere na frequência de 2,5 GHz. O que acontece é que o site oficial da Motorola Mobility no Brasil exibe na página de informações técnicas do smartphone Razr HD a informação errada de que o dispositivo opera em 700 MHz e 2.100 MHz em LTE. Na verdade o aparelho foi justamente o primeiro no país a ser ofertado com a compatibilidade com o 2,5 GHz, em setembro.

Tags: , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top