Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Ações de fabricantes de chip têm forte alta, puxadas pelo aumento das encomendas de fim de ano

Postado em: 31/10/2014, às 18:39 por Erivelto Tadeu

Três semanas depois de divulgar os resultados financeiros preliminares do segundo trimestre do ano fiscal de 2015, encerrado em 30 setembro, que desencadeou uma enorme queda em suas ações, a Microchip anunciou que o balanço do período, divulgado na quinta-feira, 30, superou as expectativas.

Embora o lucro líquido da fabricante de chip no período tenha ficado em US$ 93,6 milhões, o que representa uma queda aumento de 6,2% na comparação com os US$ 99,8 milhões registrados em igual trimestre do exercício fiscal anterior, a receita teve aumento de 10,9%, passando de US$ 492,7 milhões um ano antes para US$ 528,9 milhões.

O crescimento expressivo nas vendas, e as previsões da empresa de que a receita do terceiro trimestre fiscal fique apenas "ligeiramente abaixo dos níveis sazonais típicos", fez com que as ações da Microhip encerrassem o pregão na Nasdaq nesta sexta-feira, 31, em alta de quase 5%, negociadas a US$ 43,11.

Os papéis dos fornecedores de chip na bolsa de tecnologia, por sinal, registram forte alta nesta sexta. Tanto fabricantes de chip analógico quanto produtores de microcontroladores, tais como a Atmel, Freescale, STMicro, Synaptics, Cirrus Logic, Amkor, Intersil e Linear, fecharam o pregão com o preço de suas ações em elevação. Os papéis da STMicro, por exemplo, subiram 4,67%, para US$ 6,72, enquanto os da Synaptics aumentaram 4,54%, negociados a US$ 68,43, e os da Freescale decolaram 8,75%, vendidos a US$ 19,89 — apenas para citar algumas.

As ações de fabricantes de chips para dispositivos móveis também tiveram alta. Mesmo empresas pequenas desse segmento, tais como a Skyworks, RF Micro, TriQuint, Silicon Motion, viram seus papéis subirem nesta sexta. Gigantes como a Broadcom, Texas Instruments e Xilinx, após entregarem resultados financeiros trimestrais acanhados, se recuperaram. A Broadcom fechou o dia com seus papéis valendo US$ 41,88, alta de 2,92%, ao passo que a Texas terminou o pregão com as ações negociadas a US$ 49,66. As ações da Intel acompanharam a tendência de alta e fecharam o dia cotadas a US$ 34,01, elevação de 4,39%.

Uma das razões para o desempenho da indústria de chip, conforme já previam vários estudos de mercado, foi a forte produção de eletrônicos para a temporada de festas de fim de ano, quando uma verdadeira enxurrada de eletroeletrônicos chega ao mercado — desde simples consoles de videogame até tablets e smartphones —, o que fez aumentar a demanda por chips. Isso sem falar também na queda de preços dos semicondutores e na redução dos estoques.

Tags: , , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top