Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Sete erros que novos visionários cometem no primeiro app

Postado em: 14/01/2015, às 17:56 por Cesar Fernandes

No atual cenário dos negócios, muitos dos novos empreendedores focam no segmento mobile com a ideia principal de construir um aplicativo móvel (app), mas poucos têm a coragem de gastar tempo e dinheiro para levar a ideia à frente. Isso porque sabem que diversos fatores podem levar seu novo negócio ao fracasso. Alguns erros comuns podem ser considerados pecados mortais no desenvolvimento de apps.

Confira os sete pecados e sete dicas sobre como evitá-los, fazendo com que o investimento em um aplicativo móvel seja assertivo e traga os melhores resultados:

Pecado 1: Não fazer um Mínimo Produto Viável (MVP) de verdade

Poucos conseguem montar um MVP corretamente. Isso ocorre porque o desenvolvedor atua segundo sua experiência e conhecimento, e acaba transformando o MVP em "Meu Produto Viável". Para evitar esse problema, escolha um mentor experiente e use produtos e serviços especializados para facilitar a construção de landing pages, protótipos e apps. O Unbounce e o Launchrock são bastante utilizados para isso.

Pecado 2: Não fazer você mesmo o wireframe ou protótipo

A melhor ferramenta de comunicação no início de qualquer projeto é um wireframe. E mesmo que você não entenda nada de wireframes ou exista profissionais para isso, o melhor é que você encare essa tarefa como um exercício e faça pessoalmente esse projeto, em que terá de transformar "parágrafos e itens" em "telas e botões". Certamente você vai perceber que pensou em algumas coisas que não fazem sentido e que muitas outras estão faltando. Mas, o mais importante é tangibilizar a sua expectativa para os profissionais que irá contratar.

Mesmo que os profissionais refaçam o seu wireframe, eles vão fazer com base em algo muito melhor do que um simples e-mail ou temas sugeridos de uma reunião de brainstorming. Não se esqueça de que você é parte integrante da equipe. Algumas ferramentas simples podem te ajudar, como o Mocking Bird e Proto.io.

 Pecado 3: Designers e desenvolvedores desalinhados

Conhece um ótimo designer? Legal! Só não o pague para desenhar seu app antes de alinhar as expectativas com o desenvolvedor, pois mesmo que ele tenha experiência, o risco de dar algo errado é altíssimo. Isso porque, o desenvolvedor vai questionar o design proposto ou vai cobrar o triplo para executar. A situação ainda pode se agravar quando se contrata uma empresa para o desenvolvimento via vendedor e não desenvolvedor. Pode não parecer, mas o início errado do projeto traz consequências caóticas, e é certo que alguém vai se frustrar, seja gastando mais dinheiro refazendo design; seja estressando relacionamentos; seja pressionando o desenvolvedor que prometeu um prazo irreal para fechar o negócio ou por aceitar entregas fora do prazo.

Dentro desse processo, é possível que o resultado seja um app com bugs, mal feito ou até mesmo incompleto, o que pode te levar a largar o desenvolvedor atual, pedir o código-fonte e procurar outro desenvolvedor para consertar o app. Porém, esse não é o caminho, já que o novo desenvolvedor vai falar que é melhor refazer o aplicativo do que dar continuidade ao que foi iniciado.

Pecado 4: Já começar pensando no cenário "quando o meu app escalar"

Esqueça o cenário de escala e espere o problema chegar! Não gaste dinheiro construindo estrutura, se preparando para um sonhado futuro.

É mais ou menos como construir um hotel de mil quartos em um local em potencial, esperando um volume enorme de hóspedes, e depois ver que na verdade não chega nem aos 10%. Enquanto você procura entender o porquê o sucesso não aconteceu, também tem um hotel gigante para cuidar e dar manutenção.

Hoje, há serviços especializados para tudo, com pacotes sob medida. Essas empresas apostaram anos de suas vidas para entregar um serviço que resolva de fato o seu problema. A melhor forma de começar é estabelecendo pequenas metas de acordo com o tamanho do seu mercado. Conseguiu informações suficientes? Estude soluções para a próxima etapa!

Pecado 5: Não viver o problema do seu cliente

É impossível construir uma solução decente sem viver o problema do seu cliente, nem que seja por um dia. Sinta as dores e anseios, documente, desenhe o Mapa de Empatia. Nunca se convença de que entendeu algo sem ter sentido na pele.

Pecado 6: Acreditar que o app só vai custar o que orçou

Não se iluda que o valor orçado para fazer o seu aplicativo vai ser tudo que irá gastar. Isso seria como comprar um carro e achar que gasolina, troca de óleo, IPVA são de graça. Um app é um produto vivo e necessita não só de manutenção, mas também de evolução.

Assim, se apoie em serviços que ajudam a chegar o mais rápido possível no seu MVP. E lembre-se de que é muito melhor gastar mil reais por mês do que 12 mil de uma vez só, porque em um ano seu produto pode estar totalmente diferente.

Pecado 7: Não priorizar o aprendizado

Se você não priorizar o aprendizado, você vai cometer todos os pecados novamente. Portanto, não culpe ninguém e nem se faça de vítima. Meça tudo o que puder, pois a métrica é a chave para decisões e aprendizados. Tenha alguém de confiança que consiga enxergar o cenário do lado de fora e alinhe expectativas com os stakeholders desde o começo, assim, se algo der errado, você terá insumos de todos os envolvidos.

*Cesar Fernandes é diretor da Goldark.

Tags: , , , ,

1 Comentário

  1. Fernanda Soares disse:

    Contudo, feito é melhor que perfeito. Se algo der errado, aprenda e comece de novo. Artigo interessante, ótimas dicas do César Fernandes – diretor da Goldark.

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top