Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Operadoras ainda estão longe de cumprir as metas de banda larga na região Norte

Postado em: 06/02/2014, às 19:04 por Helton Posseti

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou no fim da tarde desta quinta-feira, 6, os resultados da medição da qualidade da banda larga fixa e móvel do mês de dezembro, após receber ofício da associação de consumidores ProTeste exigindo da agência que explicasse as razões na demora da divulgação dos dados.

De acordo com os resultados, as prestadoras de serviços superaram as metas de velocidade média de conexão da banda larga fixa em todo o Brasil em dezembro. Os dados divulgados pela Anatel mostram que elas entregaram uma velocidade média superior à meta definida pelo órgão regulador.

As medições da banda larga fixa foram feitas em todos os Estados brasileiros. Os resultados registraram índices de velocidade média que variaram de 75% a 104%, sendo que a maioria das medições ficou acima de 80%. O desempenho também foi satisfatório na banda larga móvel, com todas prestadoras tendo cumprido a meta de velocidade média em 9 dos 16 Estados em que houve a medição.

Região Norte

Por outro lado, os dados da medição mostram que os estados da região Norte ainda estão muito longe de cumprir as metas definidas pela agência, especialmente a relativa  à velocidade média e velocidade instantânea.

No Acre apenas a Claro atingiu a meta de velocidade mínima exigida, 30% da contratada em 95% dos casos. Já a meta de velocidade média ­— pelo menos 70% da velocidade contrada ­— foi cumprida apenas pela Claro e pela TIM. O estado também sofre com a qualidade da banda larga fixa prestada pela Oi, a única prestadora disponível. Dos seis indicadores analisados pela a agência, a empresa conseguiu cumprir a meta apenas em dois: velocidade média e variação de latência.

No Amapá, a situação é ainda pior. Nenhuma das quatro operadoras móveis atingiu a meta de velocidade instântanea e média da banda larga móvel e, mais do que isso, ficaram muito longe dos índices exigidos. Na velocidade instântanea o destaque negativo vai para a Claro que entrega o contratado em apenas 13% das medições. Na velocidade média, mais uma vez a Claro aparece como a pior: com 20,36%. A banda larga fixa não foi medida no Estado.

No Amazonas, Oi e TIM ficaram abaixo na velocidade média e instantanea da banda larga móvel. Na banda larga fixa, as duas empresas que operam o serviço no Estado (Oi e Net) cumpriram a velocidade média, mas a Net ficou abaixo da meta de velocidade instântenea, latência e disponibilidade. A Oi, por sua vez, não cumpriu a meta de perda de pacotes e latência.

Situação semelhante acontece em Rondônia e Roraima. Na banda laerga fixa, a Oi descumpre os indicadores de velocidade instântanea, latência e perda de pacotes nos dois estados. Na banda larga móvel, em Rondônia a Oi descumpre a meta de velocidade instântanea e mínima, enquanto que a TIM descumpre a meta de velocidade mínima.

Em Roraima, a Oi e a TIM descumprem a meta de velocidade média e instantânea. A Claro descumpre a meta de velocidade média e a Vivo de velocidade instantânea.

Tags: , , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top