Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Marco civil fica novamente sem data para votação e PMDB agora se diz contra o projeto

Postado em: 11/03/2014, às 18:49 por Redação

A votação da proposta do marco civil da internet (PL 2.126/11), um dos projetos que tranca a pauta de votações do plenário da Câmara dos Deputados, foi adiada novamente nesta terça-feira, 11, por causa da insatisfação dos líderes da base aliada, especialmente do PMDB. Descontente com a distribuição de ministérios pela presidente Dilma Rousseff, o partido agora se diz contra a aprovação do projeto de lei, que ficou sem data definida para ir à votação. Os peemedebistas também aprovaram a proposta de criação de uma comissão mista da Câmara e do Senado para investigar a Petrobras.

Na manhã desta terça os deputados Vicentinho, líder do PT-SP, e Alessandro Molon (PT-RJ), relator da proposta, já acenavam com o adiamento da votação ao deixarem a reunião de líderes da base aliada, realizada no gabinete da liderança do governo.

A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, também esteve na liderança do governo, mas não quis se pronunciar. Ela não participou da reunião de líderes, mas conversou pessoalmente com líderes e outros deputados da base insatisfeitos com a relação com o governo.

Os deputados reclamam que o governo não cumpre seus compromissos relativos à liberação de emendas parlamentares. "A política deve ser feita numa relação de confiança entre dois lados. É isso que está ruído na atual conjuntura", disse o deputado Giacobo (PR-PR), ao deixar a reunião.

Segundo Vicentinho, o problema não foi resolvido na manhã de terça. "A situação da base continua insegura", disse. "A meta principal do PT é votar o Marco Civil da Internet, mas parece que não será possível esta semana, já que alguns partidos da base não querem votá-lo. Não por ser contra a proposta, mas por causa da conjuntura política", afirmou.

O principal opositor da matéria, o líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), não participou da reunião.

Vicentinho acredita, porém, que, a despeito das insatisfações na base aliada, ainda possam ser votados nesta terça os destaques ao projeto de lei do novo Código de Processo Civil em sessão extraordinária, após a ordinária. As informações são da Agência Câmara.

Notícia atualizada às 20h27.

Tags: , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top