Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Fórum discute metodologia para ajudar empresas a calcular risco de ciberataques

Postado em: 21/01/2015, às 18:04 por Redação

O Fórum Econômico Mundial,  evento realizado anualmente em Davos, na Suíça, e seus parceiros desenvolveram uma nova maneira de organizações calcularem o impacto das ameaças cibernéticas. O "framework", chamado "value-at-risk cibernético" vem em um momento em ciberataques estão aumentando em velocidade e intensidade, e quando 90% das empresas em todo o mundo reconhecem que não estão suficientemente preparados para proteger-se contra eles.

"Ciberataques continuam em organizações globais estão mostrando que estamos em uma encruzilhada", disse Alan Marcus, Diretor Sênior da tecnologia de comunicação Indústrias da Informação e do Fórum Econômico Mundial. "As mesmas tecnologias muitas organizações se tornaram tão dependentes também podem ameaçar a sua própria essência. É por isso que estamos lançando um Futuro da iniciativa Internet em Davos, incluindo este quadro crítico cibernético valor em risco. "

O "framework" proposto faz parte de um novo relatório, "Parceria para Cyber Resiliencia: Rumo a Quantificação de Ameaças Cibernéticas", que foi criado em colaboração com a Deloitte e mais de 50 organizações de todo o mundo. O relatório será discutido durante o Encontro Mundial do Fórum Econômico de 2015, que termina no sábado, 24.

O objetivo da abordagem de valor em risco é o de ajudar as organizações a tomar melhores decisões sobre investimentos em segurança cibernética, desenvolver estratégias globais de gestão de risco e ajudar a estimular o desenvolvimento dos mercados de transferência de risco global. O "framework" ajuda as organizações a abordar questões tais como a forma como eles são vulneráveis a ameaças cibernéticas, quão valiosos os principais ativos que estão em jogo são, e que poderiam ser alvo deles. Ele exige que as organizações entendam os principais riscos e as dependências entre eles. Ele também irá ajudá-los a estabelecer quanto de seu valor que poderia proteger se eles foram vítimas de uma violação de dados e por quanto tempo eles podem garantir a sua proteção cibernética.

Jacques Buith, gerente de parcerias da Deloitte Risk Services, diz que "precisamos ser capazes de quantificar os cyberriscos de forma adequada, a cyber-resiliência (visibilidade dos riscos) deve ser alcançada. Só então é que o conselho de administração será capaz de assumir riscos e tomar decisões neste mundo volátil."

De acordo com Mark Rutte, o primeiro-ministro dos Países Baixos", a internet tornou-se um recurso estratégico fundamental para os cidadãos, empresas e governos. A fim de realizar plenamente o seu enorme potencial de crescimento e inovação, os governos e setor privado têm de trabalhar em conjunto para garantir que ela permaneça livre, aberta e segura. A Holanda é um líder no campo de acesso à internet, uso de e-mail, mídias sociais e dados móveis. Na Conferência Global sobre Cyber Space em abril próximo, em Haia, vamos discutir os desafios que se avizinham com todos os principais intervenientes, do público e do setor privado."

Tags: , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top