Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Tentativas de fraude contra bancos e financeiras crescem 21%, aponta estudo

Postado em: 04/06/2013, às 11:58 por Redação

Segundo o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude, a incidência deste crime contra bancos e financeiras aumentou 21%: de 97.907 ocorrências no primeiro trimestre de 2012 para 106.514 no primeiro trimestre de 2013.

De acordo com Celso Pinto, gerente corporativo da empresa, as ferramentas de combate à fraude disponíveis no mercado foram desenvolvidas com base nos riscos apresentados em cada uma das etapas do ciclo de crédito. "Não há apenas uma solução, mas uma série de ações preventivas destinadas a cada fase do processo", afirma.

Ao prospectar clientes, o ponto de partida é a checagem minuciosa das informações cadastrais dos candidatos a financiar. Nome, endereço, telefones, local de trabalho, renda e referências bancárias estão entre os dados a serem confirmados por sistemas eletrônicos confiáveis. "Também é necessário checar listas de óbitos porque muitas quadrilhas usam a identidade de pessoas falecidas e conseguem crédito", alerta o gerente.

Mas o monitoramento das informações não para por aí. "Ao contrário do que se pode imaginar, mesmo após a concessão, o credor precisará reconfirmar dados já verificados na primeira etapa", diz Celso. "Essa segunda etapa de averiguação reduz as chances de ocorrências de fraude, tais como a invasão de conta, entre outras."

Invasão de conta ocorre quando um fraudador consegue os dados bancários ou de cartão de credito do consumidor e se utiliza destas informações para se passar pelo verdadeiro dono da conta e solicitar novos cartões de credito ou talões de cheques e utilizá-los, deixando a "conta" para a vítima.

O gerenciamento da carteira é interpretado como o mais nevrálgico do ciclo de crédito. "Isso porque se as medidas preventivas não foram suficientes para anular a ação de fraudadores, a empresa terá que se valer da tecnologia de sistemas específicos voltados a identificar e sinalizar possíveis ocorrências mesmo antes de elas se concretizarem." Segundo o gerente, as incidências de muitas alterações ou pedidos no cadastro do cliente são alguns indicativos. "Ao detectar estes indícios, a companhia tomará providências que restringirão os prejuízos."

Inadimplência

A inadimplência é o resultado final da fraude. Mas mesmo nesta etapa há maneiras para não potencializar os danos. "Ter tecnologia que separe a inadimplência comum da inadimplência ocasionada por crime organizado é fundamental, pois impede o encaminhamento de CPFs de clientes com dados roubados aos órgãos de proteção ao crédito", diz Celso.

Segundo o gerente, o consumidor lesado por fraude responsabilizará a empresa que o negativou, independente desta também ter sido prejudicada por golpe de terceiros. "Dessa forma, a pessoa jurídica vítima se torna ré", diz. "As soluções criadas para auxiliar a prevenção à fraude no ciclo de crédito existem justamente com o objetivo de diminuir as chances de o crime compensar."

Tags: , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top