Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Seis fundamentos de TI para integração de sistemas

Postado em: 03/12/2015, às 17:41 por Glenn Johnson

Inovação e pesquisas constantes são a marca das indústria de Life Sciences (que atua em pesquisa e desenvolvimento de novas drogas e na produção biofarmacêutica). No Brasil, podemos chamar estas empresas de uma maneira simplificada de Indústria da Ciência da Vida.

Empresas de todos os tamanhos deste setor, desde as startups até as grandes farmacêuticas, conhecidas como Big Pharma, devem investir continuamente na colaboração para garantir a qualidade dos produtos, cumprir as regulamentações do setor e diminuir os riscos em cada estágio do ciclo de vida do desenvolvimento de uma nova droga. Os dados e documentação provenientes de vários sistemas, incluindo a de fabricação, ciclo de vida do produto, dados financeiros e do cliente, devem estar integrados e racionalizados. Além disso, estas informações precisam ser compartilhadas de forma eficiente com os acionistas internos e externos, incluindo consumidores, fornecedores, organizações colaborativas e agências regulamentadoras.

Apesar das intenções impressionantes dos sistemas de gestão empresarial (ERP), a maioria das companhias da indústria deste setor ainda usa os sistemas de gestão somente para gerenciar transações de contabilidade. Os sistemas de Gerenciamento do Ciclo de Vida do Produto (PLM) surgiram, então, para preencher uma das lacunas que estes sistemas tradicionais possuem: a necessidade de um sistema que gerencia o ciclo completo de vida do produto desde sua ideia através de pesquisas e desenvolvimento, protótipo, fabricação e interrupção. Infelizmente, muitas das informações gerenciadas pelos sistemas ERP e PLM sobrepõem-se e os sistemas acabam não compartilhando informações facilmente.

Aqui estão seis requisitos chave para que uma plataforma de integração à prova de futuro possa ajudar no atendimento da demanda das empresas e organizações deste setor.

  1. Escalabilidade em Memória

As agências reguladoras da indústria de Life Sciences, frequentemente, requerem volumes maciços de dados relacionados à pesquisas clínicas, fabricação e a cadeia de suprimentos. A melhor forma de garantir alto desempenho e um alto nível de confiança é usar uma arquitetura In Memory Computing (dados na memória do computador), que distribui o processamento através de múltiplos núcleos, cada um com memória dedicada e poder de processamento. Com esta arquitetura, se um núcleo falha, o sistema de gerenciamento integrado automaticamente troca o processamento para um núcleo diferente, evitando qualquer perda de dados. Conforme os requisitos de processamento aumentam, o sistema de gerenciamento automaticamente recruta mais núcleos, adicionando escalas quando necessário.

  1. Certificação para Nuvem e Sistemas Locais

A maioria das empresas e organizações que atuam na indústria da Ciência da Vida, usa uma variedade de sistemas em nuvem, que são frequentemente obtidos em contratos de curto prazo e frequentemente trocados de um fornecedor para outro. Porém, ao mesmo tempo, muitas empresas são dependentes de soluções locais, construídas e cultivadas ao longo de vários anos, mantendo larga experiência ou fornecendo soluções para nichos especiais. Esta mistura e profusão de aplicações e bancos de dados formam um ambiente de TI altamente complexo e heterogêneo. A aplicação de uma plataforma de integração deve ser capaz de manipular múltiplas nuvens, assim como arquiteturas locais, e também de gerenciar dados seguindo o fluxo de trabalho dos usuários e a lógica corporativa. Rodar a plataforma de integração em firewall permite que o TI gerencie e regulamente com a tranquilidade que eles precisam para manter certos sistemas e dados seguros.

Nenhuma solução de integração pode existir no vácuo: por definição, seu valor depende de sua habilidade de conectar-se com uma ampla faixa de sistemas backend. Uma vez que as empresas deste setor trabalham em cooperação com vários parceiros e fornecedores e precisam cumprir com os requisitos regulatórios, uma plataforma de integração de sistemas deve, obrigatoriamente, ter a capacidade de conectar-se de forma previsível com outros bancos de dados, estruturas, aplicativos e pontos de saída das redes de sistemas.

Conectores de integração certificados são altamente recomendados, uma vez que eles garantem que contratos de manutenção, suporte e atualização com os fornecedores sejam honrados. Usar soluções de integração de fornecedores não homologados pode deixar as empresas em dificuldades se o fornecedor rejeitar ou não homologar o integrador de sistemas.

  1. Monitoramento em Tempo Real e Registro de Dados Permanentes

Com tanta informação trafegando pelos sistemas, as organizações desta indústria precisam ter a capacidade de monitoramento em tempo real de seus processos de negócios. Aquelas que empregam plataformas de integração com arquitetura In Memory Computing, com a habilidade de rodar múltiplos processos paralelamente e com capacidades de recuperação automática, encontrarão significativamente menos problemas conforme eles eliminam gargalos e erros virtualmente. No entanto, os órgãos reguladores raramente trabalham em tempo real. Para atender as regulações significa que as plataformas de integração devem ter Bancos de Dados Operacionais completos (ODS) que possam registrar dados e metadados para revisão futura dos auditores e reguladores . As redes de dados em memória são o capacitor ideal para registro de dados em tempo real para que a  informação possa ser processada o mais rápido possível.

  1. Integração de Processos de Negócios via Dispositivo Móvel

Conforme a indústria de Ciências da Vida torna-se mais competitiva, a capacidade dos aplicativos móveis de visualizar e rodar processos de negócios deste segmento torna-se cada vez mais crítica. Além de permitir respostas imediatas e atualização de sistemas a partir de qualquer lugar, os aplicativos móveis permitem que as empresas reinventem e automatizem os processos, reduzindo custos e tornando seus negócios mais eficientes.

Uma plataforma de integração deve permitir que os desenvolvedores entreguem a informação de negócios para os usuários de dispositivos móveis e permitir que processos chave de negócios possam ser executados pelos usuários autenticados em dispositivos seguros. Por isso a capacidade dos aplicativos em trabalhar off-line em modo totalmente criptografado é essencial. O gerenciamento das políticas para uso de dispositivos com áreas demarcadas, eliminação remota e outras características de controle podem também ser necessários em ambientes regulamentados. Enquanto nem todos os processos possam ser mobilizados, aqueles que os são, devem ser altamente seguros e firmemente integrados com base nos princípios SOA.

  1. Processos de Integração Segura

Manutenção da privacidade, confidencialidade e segurança são absolutos na indústria de Life Sciences. Ameaças a processos de negócios podem vir dos concorrentes, governos estrangeiros, colaboradores desiludidos atuais ou antigos e hackers. Os agentes destas ameaças geralmente são capacitados, bem financiados e persistentes. Plataformas de integração devem cumprir com a abordagem das melhores práticas da indústria com relação à segurança e integridade dos dados. Funcionalidades de segurança nativas e suporte aos padrões da indústria da área de autenticação e direitos dos usuários, atendimento ao Transport Layer Security Protocol (TLS), além de  recursos de criptografia estão entre os requisitos essenciais. Rodar a plataforma de integração protegida por firewall é altamente recomendável, mesmo quando muitos dos sistemas possam estar integrados em nuvem.

  1. Conjunto único de funcionalidades

O desenvolvimento manual, não automatizado, de sistemas de integração dificulta a manutenção, a reinicialização ou a correção de erros. Em toda empresa, isto já é um problema, mas na indústria da Ciência da Vida isso traz sérias consequências. Plataformas de integração bem projetadas podem evitar a necessidade de programação manual como um todo. De qualquer forma, evite abordagens de integração que necessitam programação ou roteirização em várias linguagens para diversas plataformas móveis, dispositivos e sistemas operacionais.

Uma plataforma de integração amigável e livre de códigos, com processo de orquestração visual e com conectores prontos para os sistemas de TI mais conhecidos, permite que você conecte múltiplos sistemas usando o mesmo conjunto de capacidades e funcionalidades. Isto facilita e acelera a finalização de grandes projetos de integração. Isto não apenas reduz os altos custos de profissionais e trabalho especializados, como também aumenta o ROI de sua plataforma. Independentemente de onde sua empresa se encaixa no espectro de Ciência da Vida – ou até mesmo em outros setores -, você poderá descobrir que estará melhor servido com uma plataforma de integração de tamanho certo e com as capacidades modernas descritas acima. Quanto mais rápido e eficiente você puder conectar as informações através dos sistemas, mais facilmente você conseguirá compartilhar informações com seus colaboradores, parceiros e acionistas, superar os desafios das políticas regulatórias do seu segmento conformidade e aumentar a competitividade.

Glenn Johnson, vice-presidente sênior da Magic Software Enterprises Americas.

Tags: , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top