Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

TI no Brasil: bons resultados e exemplos externos para continuar crescendo

Postado em: 07/12/2015, às 17:30 por Todd Barrett

Vive-se um momento de intensas transformações tecnológicas, em que o conceito de Internet das Coisas (IoT) tem transformado como agimos, pensamos e produzimos. Tudo isso aumentou muito o escopo e aplicabilidade do setor de Tecnologia de Informação (TI), fundamental para esse desenvolvimento, dando suporte à crescente conectividade.

Analisando o setor de TI a nível mundial, o Brasil se destaca como um importante mercado, ocupando a 7ª posição no ranking, segundo o mais recente relatório do International Data Corporation (IDC). Nos últimos anos, o Brasil obteve ótimos índices no setor, com a segunda maior taxa de crescimento, acima da média mundial e mesmo em um contexto de crise econômica interna atual, estudos da IDC de janeiro previram um crescimento de 5% em TI e Telecomunicações em 2015.

Mesmo assim, entretanto, o país ainda tem potencial para avançar muito mais o desenvolvimento dessa indústria, buscando maior inserção no mercado internacional, onde ainda é pouco reconhecido como polo de inovação tecnológica.

No mercado internacional, é possível encontrar modelos a serem aplicados no Brasil, como, por exemplo, a província de Ontário, maior polo de tecnologia do Canadá. Startups renomadas, conhecidas por seu crescimento exponencial, têm presença em Ontário. Esse é o caso das americanas Square e a Pivotal Labs e também da Kik e da Shopify, nascidas lá. Algumas das maiores empresas do setor também estão instaladas na região, como é o caso da Cisco Systems, Microsoft, IBM, Siemens e Google. Mais de 19 mil companhias de TI têm operações em Ontário.

Além de ser um mercado próspero para negócios do setor de TI, a província também investe no setor acadêmico para o desenvolvimento de tecnologias. Em Waterloo está instalada uma das principais universidades de tecnologia do mundo, referência na área de ciência da computação e responsável por cerca $1.5 bilhão do PIB anual de Waterloo.

Ontário oferece um contexto bastante propício para a inovação tecnológica. A província foi responsável por 44% das despesas canadenses destinadas à pesquisa e desenvolvimento em 2013 (C$ 14.1 bilhões) e seis das dez maiores empresas de TI do mundo conduzem laboratórios de pesquisa na região. Além disso, o Canadá é um mercado muito atrativo pela proximidade e fácil acesso ao mercado norte-americano e por contar também com a mão de obra qualificada mais barata dentre os países membros do G7 e promover uma forte política de incentivos que fomentam a produção e o avanço do setor de TI.

Outro resultado positivo visto em Ontário, que pode ser explorado no Brasil, é a parceria entre os governos regional e nacional quanto à agenda de aumento das exportações. O governo de Ontário, assim como o de outras províncias canadenses, possui um acordo com o governo do Canadá, onde tem a opção de posicionar representantes regionais nas missões diplomáticas no exterior. O objetivo desse compromisso é permitir às províncias uma presença no internacional, para que possam ajudar suas empresas a adentrar novos mercados. Além do Brasil, Ontário está presente em outros 11 países, entre eles China, Índia, Alemanha, França e México.

O projeto de expansão da área de TI no Brasil está previsto no plano de metas TIC 2022, elaborado pela Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação). Esse projeto busca o desenvolvimento do volume de produção da indústria brasileira na área e também a expansão de sua aplicabilidade em diversos setores, o que alavancaria  o crescimento da economia, tornando o Brasil um mercado produtor eficiente e competitivo no setor de tecnologia. Outro ponto abordado pelo projeto é a necessidade existente para que o Brasil acompanhe a tendência global de automação e horizontalização das utilidades da IoT em todos os modelos produtivos.

Para que essas projeções sejam viáveis, é necessário uma confluência de fatores. É preciso que haja esforço público e privado, e desenvolvimento de capital humano a partir de excelência acadêmica e científica. Esses aspectos, trabalhados em conjunto, que promoverão um ambiente empreendedor, com a infraestrutura necessária para o avanço do setor de tecnologia da informação no Brasil.

Todd Barrett, cônsul comercial de Ontário no Brasil.

Tags: , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top