Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Planejamento estratégico para resultados eficazes

Postado em: 12/04/2013, às 18:48 por Raphael Saueia Bueno

O planejamento estratégico, momento no qual as empresas planejam o seu futuro, embora seja amplamente praticado, muitas vezes, não atinge os objetivos propostos. Fica, então, a percepção de que é um processo obrigatório a ser realizado em determinada época do ano para atender aos anseios dos investidores e do conselho de administração, mas que não gera um retorno prático. Então, como garantir resultados eficazes?

Uma mudança no foco é necessária. No Brasil, pesquisas realizadas pela consultoria Everis demonstram que a vertente mais latente no planejamento estratégico é a análise da concorrência, compondo 80% do esperado com ele. Já no mundo, este foco está voltado para o retorno financeiro que a estratégia proporcionará, como o crescimento de receita e o retorno sobre o investimento (ROI), constituindo aproximadamente 70% dele, um método mais sofisticado de mensurar o retorno do que o modelo nacional, uma vez que considera uma maior gama de variáveis na análise. Contudo, com as empresas nacionais conquistando dia-a-dia uma relevância internacional maior, deve haver uma mudança no foco brasileiro.

Há, ainda, outras formas de tornar esse plano estratégico mais eficaz. A ampliação das análises realizadas durante a elaboração é uma delas. Hoje, o benefício desse elemento no planejamento é percebido em apenas 30% das empresas no Brasil. A importância de valorizar esse ponto está no foco, que passa a ser o ambiente no qual está inserida. Dessa forma, as análises que são realizadas durante a elaboração como SWOT, forças de Porter, benchmarks e análise de cenários serão potencializadas.

Antes de finalizar o plano, ainda é imprescindível calcular o alcance e aceitação dele pela companhia como um todo, traduzindo-o em resultados para a empresa. Essa última etapa pode gerar dificuldade devido a uma série de fatores, destacando o não entendimento dele ou a resistência às mudanças propostas.

Para driblar os possíveis problemas, a empresa deve atuar na criação de uma estrutura que permeie a implantação do planejamento estratégico, com a estruturação de uma governança, o desenho do processo decisório, a gestão do portfólio de projetos e a definição dos indicadores que serão acompanhados por meio do Balanced Scorecard. Além disso, a empresa deve se certificar de que os processos e estruturas estão em linha com a estratégica traçada.

É necessário, complementarmente, potencializar a aceitação do planejamento em todos os níveis da organização com a avaliação e a análise ativa dos stakeholders, por exemplo.

Outra alternativa utilizada por companhias de diversos portes, visando garantir ainda mais a efetividade do planejamento estratégico, é o apoio de parceiros durante diferentes momentos do ciclo do plano, seja no auxílio das análises ou no acompanhamento dele após a conclusão.

Uma vez levados em conta e tratados os elementos apresentados, as empresas ampliarão a perspectiva de análise e assegurarão que o plano definido será efetivamente formulado e implantado, potencializando os resultados esperados dele e, assim, gerando um circulo virtuoso para toda a organização.

 Raphael Saueia Bueno é gerente da Unidade de Business Consulting da Everis

Tags: , , , ,

7 Comentários

  1. Guilherme disse:

    Ótima materia!!

  2. Carlos Telecom disse:

    Excelente artigo. Como faço para contactar o Raphael?

  3. Renato disse:

    Concordo com tudo menos com a ultima linha…quer fazer um planejamento estrategico com circulo virtuoso? Monta uma empresa pequena com uns 5 funcionarios. Alias, se quiser montar uma comigo eu topo.

  4. ticiani disse:

    Concordo com tudo! Fazer isso eficaz é realmente muito dificil. A parte mais complicada e que talvez não tenha sido muito certeira é o ciclo virtuoso. Aí é dificil, só se quiser montar uma empresa comigo Raphael ai sim agente faz um ciclo

  5. RICARDO LAFARTI de SENA disse:

    Trabalho como Gestor de Planejamento Estratégico em uma consultoria e usamos bastante a Análise SWOT e acompanhamos com BSC, desenvolvemos Planos de Ações, com Objetivos,Iniciativas e Indicadores alinhados com o Planejamento e percebo que a maior dificuldade nas empresas para atingirem seus objetivos está na execução das ações do dia a dia, por isto não alcançam.

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top