Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Gerenciando o caos da tecnologia

Postado em: 16/02/2016, às 20:18 por Ricardo Fernandes

As empresas já estão percebendo os benefícios da  Com as soluções de computação em nuvem de baixo custo, agora ficou mais fácil e econômico possuir os sistemas da empresa. A mobilidade e a iniciativa do BYOD ("traga seu próprio dispositivo") permitiram uma maior flexibilidade sobre como e onde os funcionários trabalham. A tecnologia dos negócios é mais inteligente e mais bem conectada com o surgimento da Internet das Coisas (IoT).

Estas iniciativas mais recentes de tecnologia, entre outras, estão permitindo que as empresas se tornem mais ágeis, mas, ao mesmo tempo, apresentam uma nova gama de desafios para os CIOs de hoje. Agora há mais tecnologia do que nunca para gerenciar, mais formas diferentes de usá-la e mais complicações em implantá-la. A escala crescente, a complexidade e a diversidade das infraestruturas de TI exigem uma abordagem integrada para administrar a tecnologia por trás dos ativos digitais das empresas.

Hoje as empresas dependem de tecnologias que lhes ofereçam suporte e apoio. Assim, o desenvolvimento de uma abordagem mais estratégica em relação ao gerenciamento da tecnologia é o investimento mais importante que uma empresa deve fazer. Quais etapas os CIOs devem empreender para realizar com sucesso a transformação digital em suas organizações?

Implementando com eficácia a transformação digital

Os CIOs devem reavaliar como a TI é gerenciada em todo o negócio. Eles devem identificar novas oportunidades e enfrentar os desafios potenciais causados pelo ecossistema de mesclar tecnologias antigas e novas. Para fazer isso, os CIOs precisam de algumas tecnologias para toda a empresa, e isso marca o fim do trabalho de forma isolada, inclusive para os departamentos comerciais que trabalham de maneira independente.

A execução de um portfólio integrado de soluções inteligentes, intuitivas e orientadas a dados garante que as soluções digitais operem em níveis ótimos de desempenho e capacidade. As técnicas de análises desses serviços não só ajudam os CIOs a construir e manter uma infraestrutura digital mais enxuta e mais rentável, como também os auxiliam a criar uma visão precisa da infraestrutura em todos os departamentos e processos. Os CIOs vão aproveitar um retorno maior sobre seus investimentos em tecnologia e uma plataforma consolidada, mais fácil de gerenciar e de menor risco, evitando desperdício de capacidade e de licenciamento em toda a organização.

Construindo uma corporação digital

Para desenvolver uma empresa digital eficaz, é fundamental que os CIOs priorizem o gerenciamento e o controle eficazes em toda a organização. Não há transformação digital se todos dentro da organização não sentirem os benefícios do desempenho, da integridade, da eficiência e da agilidade dos serviços digitais. Isso só é possível se os CIOs trabalharem com as partes interessadas da empresa, e não contra elas.

Isso se mostra especialmente verdadeiro para as organizações que prestam serviços digitais sofisticados e interligados através de uma interface de usuário simples. Entre os exemplos estão um modelo baseado na Web que foi projetado para as pessoas listarem, encontrarem e locarem acomodações e uma empresa de rede de transporte que permite que os clientes com smartphones enviem uma solicitação de viagem, que é então encaminhada para os motoristas que usam seus próprios carros. Os dois exemplos têm suporte de várias tecnologias interdependentes, com base nas quais todo o ecossistema se mantém.

Uma vez que os serviços digitais e seu gerenciamento bem-sucedido se tornam onipresentes em um negócio, é só então que ele atinge o nível de "empresa digital". Uma empresa digital é projetada para encantar os clientes e capacitar os funcionários com serviços digitais que não comprometam a segurança dos dados ou estourem o orçamento de TI. Todas as funções são baseadas em um processo, e quase todos os passos desse processo são automatizados. Em outras palavras, todas as funções são digitais, mensuráveis e otimizáveis.

Existem vários serviços digitais que influenciam e definem a vida diária dos clientes – e a maioria nunca percebe a tecnologia de backend existente para manter a coisa funcionando. O setor de TI é responsável pela gestão desses recursos e serviços correspondentes: a integração dos sistemas, a manutenção da conformidade e da governança, e a promoção da inovação com as linhas de negócios. Gerenciar a empresa digital é o maior desafio, bem como a maior oportunidade para os CIOs.

O sistema de reservas da AirBnB envolve o setor de vendas, suporte ao cliente, operações e logística, e finanças. Em outras palavras, o que um usuário final vivencia é o resultado da integração de uma miríade de sistemas e processos. Cada processo é atualizado instantaneamente e tudo isso se funde em uma experiência que o usuário final não percebe, porque tudo está funcionando perfeitamente. A experiência digital que o setor de TI oferece do processo de backend toca todas as facetas de um negócio.

No centro do Gerenciamento de Serviços Digital está uma experiência sofisticada e atraente para o usuário final, quer se trate de um consumidor encomendando produtos ou um fornecedor de serviços ao cliente respondendo a uma consulta. O Gerenciamento de Serviços Digitais tem o potencial de mudar fundamentalmente o tom e a direção para onde os clientes estão indo e como as empresas podem satisfazê-los. Este é o futuro de todo o ecossistema de Gerenciamento de Serviços de TI.

Ricardo Fernandes, country manager da BMC Brasil.

Tags: , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top