Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Philips desenvolve plataforma para saúde conectada

Postado em: 26/10/2015, às 15:11 por Claudiney Santos

Com o objetivo de ampliar seu ecossistema na área de saúde conectada, a Philips apresentou no Philips Connect Day 2015, realizado em São Paulo, a Plataforma Digital HealthSuite (HSDP), que pretende representar uma "nova era" nos cuidados conectados para pacientes e provedores, incluindo não só hospitais, mas estender o relacionamento para as casas e vidas cotidianas das pessoas. Ela é apoiado pela plataforma da Salesforce.com, usando como host a nuvem aberta da Amazon, que recolhe, compila e analisa dados clínicos de vários outros dispositivos e fontes.

Segundo Marcelo Santos, que lidera as iniciativas de analytics e integração de dados da empresa na América Latina, ela é uma plataforma otimizada, aberta, segura, colaborativa (baseada em Machine Learning) que permite insighst para se conhecer melhor toda a comunidade envolvida na saúde. Aproveita grandes volumes de dados e análises avançadas para ajudar os hospitais e sistemas de saúde a identificar problemas complexos e aproveitar oportunidades operacionais e financeiras de melhoria de desempenho.

Ela é construída em padrões do setor, com APIs abertas, para que possa ajudar o ecossistema a construir soluções e ampliar o potencial da plataforma. Permite a integração e análise de dados clínicos de várias fontes, incluindo registros médicos, dados de imagem e monitoramento, bem como dispositivos pessoais e tecnologias, para criar uma infraestrutura de conectividade, prevendo até a criação de soluções baseadas em Internet das Coisas.

A plataforma HealthSuite, além de ter acesso a dados do dispositivo e do usuário, pode também fornecer feedback em tempo real de "conversas" entre os consumidores de saúde, profissionais e clientes, para maximizar o potencial do atendimento e criar uma personalização com o objetivo de torná-los mais significativos.

Diabetes

Um dos exemplos citado pelo executivo é o projeto de um aplicativo mobile (APP) para diabetes tipo 1, usando a plataforma SalesForce, que está em fase final de desenvolvimento pela Radboud University Medical Center, em Nijmegen, Holanda,que busca uma maneira de gerenciar melhor o atendimento para seus pacientes com condições crônicas.

A solução recolhe sinais vitais do paciente a partir de um sensor wearable (glucosímetro), bem como o feedback do paciente, conectando as informações diretamente no aplicativo eCareCompanion. As informações são monitorados e compilados na nuvem da HealthSuite, servindo para os prestadores de cuidados médicos monitorar a condição do paciente, em casa ou outro lugar, e fazer ajustes no atendimento, conforme necessário. Enquanto isso, o paciente tem acesso aos mesmos dados, dando-lhes um maior conhecimento sobre a sua própria condição.

Segundo Santos, existe mais de 400 milhões com diabetes, que é a sétima doença como causa de mortalidade, para o qual existem mais de 180 decisões de testes a serem aplicadas. O APP incluiu funcionalidade de analytics, armazenamento dos dados, autorização de uso, conectividade, compartilhamento, host e orquestração dos dados, de forma a garantir a interoperabilidade das informações, incluindo aí o Tazy, solução de prontuário do paciente da Philips.

Segundo a empresa, a população acima de 60 anos consome de três a cinco vezes mais com saúde do que a média dos demais grupos etários da população. Diante deste cenário, as instituições demandam cada vez mais soluções que melhorem a eficiência do atendimento minimizando custos, integrando diversos tipos de sistemas, funções e equipamentos de ambientes hospitalares, clínicas ou até mesmo operadoras de planos de saúde.

A visão da Philips diante desse cenário é trabalhar com a atenção integral à saúde durante toda a prestação de cuidados, o chamado "continuum of care".

Segundo a diretora de negócios de informação clínica da Philips, Solange Plebani, uma das implementações relevantes foi a melhoria em relação à privacidade, com uso de criptografia. A empresa também está trabalhando na melhoria dos códigos através do laboratório de teste, além de prever incorporar soluções voltadas para fitness, protocolo de Spesis, hemoterapia, ocupação de leitos, solução de evidência Micromedx, prescrição eletrônica,  BI-Analytics, entre outras.

Além do time internacional, a Philips tem 17 profissionais trabalhando em designer em Blumenau, para melhorar os aspectos de usabilidade do Tazy, que hoje tem mais de 700 aplicações diferentes.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

1 Comentário

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top