Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Black Friday e as vendas de Natal

Postado em: 05/11/2014, às 22:15 por Maurício Salvador

Faz tempo que o Black Friday se consolidou como uma importante data para o varejo Norte Americano. É a primeira sexta-feira após o feriado de Thanks Giving (Ação de Graças). Pra quem não sabe, o Thanks Giving é aquele feriado que sempre aparece nos filmes americanos, quando as famílias se reúnem para comer um grande peru assado.

O Black Friday nos Estados Unidos é um termômetro para as lojas medirem como serão as vendas de Final de Ano. É uma data criada e divulgada para estimular o consumo off-line, com ofertas e descontos bem agressivos. Aproveitando o gancho, o varejo digital norte americano criou sua própria data: a Cyber Monday. É a segunda-feira logo após o Black Friday.

Aqui no Brasil, o Black Friday surgiu há quatro anos, como iniciativa do mercado digital. Ganhou tanta força que no ano passado várias empresas do mundo off-line aderiram, incluindo concessionárias de automóveis e agências de viagens.

Apesar de seu início tortuoso, o Black Friday brasileiro deu a volta por cima e entrou definitivamente no calendário do varejo digital brasileiro. Digo início tortuoso por conta de alguns problemas que aconteceram nos dois primeiros anos.

O primeiro foi que alguns gestores de lojas virtuais aumentaram os preços na véspera do Black Friday para que seus descontos parecessem atraentes. Pura enganação. A maioria das lojas que utilizaram essa estratégia foram rapidamente descobertas pelos comparadores de preços e caíram em desgraça nas redes sociais.

Outro problema foi o despreparo operacional para atender a curva elevada de pedidos de um dia para outro. Muitas lojas foram pegas de surpresa. Sites fora do ar, rupturas de estoque e entregas em atraso também "bombaram".

Mas o consumidor gostou e quis mais. Entre 2011 e 2013, as vendas no Black Friday cresceram 186%. A previsão é que em 2014 sejam movimentados R$ 1,11 bilhões entre a meia noite do dia 28 de novembro e a primeira hora do dia 1 de dezembro.

As lojas virtuais estão mais preparadas para atender ao aumento dos pedidos nesse período. O prazo de entrega em São Paulo Capital, aumentou em média de seis para oito dias nesse período. É uma forma das lojas lidarem melhor com a expectativa dos consumidores.

Moda e Acessórios, categoria mais vendida no e-commerce nacional, aproveita o Black Friday para fazer troca de coleção e queimar estoques. Os comparadores de preços estão em alerta máximo para delatarem os falsos descontos. Novas marcas se juntarão à campanha.

Ainda foi possível medir o quanto do faturamento no Black Friday se sobrepõe às vendas de Natal. Ou seja, quanto das vendas do Black Friday são compras de Natal sendo antecipadas e quanto dessas vendas não teriam ocorrido caso não houvesse tais descontos.

Enquanto isso, vamos nos preparando pra aumentar as vendas, pois definitivamente o consumidor entrou nesse calendário. E você, vai ficar de fora?

Maurício Salvador, presidente da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico.

Tags: , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top