Converge Comunicações -

RSS Feed Compartilhe TI INSIDE Online no Facebook Compartilhe TI INSIDE Online no Twitter Compartilhe TI INSIDE Online no Google+ Compartilhe TI INSIDE Online no Linkedin

Postos Shell adotam pagamento no smartphone

Postado em: 18/11/2016, às 00:11 por Fernando Paiva

Em cerca de 150 postos Shell no Rio de Janeiro e outros 40 em Goiânia, quem faz a cobrança pelo combustível agora são as próprias bombas de gasolina. E o cliente paga pelo smartphone, desde que tenha o app Shell Box instalado e uma conta do PayPal. Não é preciso digitar senha: o sistema de autenticação "one touch", do PayPal, reconhece o usuário pela forma como segura seu smartphone.

"É uma experiência mais ágil. Em alguns postos, a pessoa precisa sair do carro para pagar na loja. Agora não é necessário nem mesmo abaixar o vidro. Em vez de a maquininha de cartão estar do lado de fora, ela está dentro do seu celular", compara Mário Mello, diretor geral da PayPal para a América Latina.

O passo a passo é simples. Primeiro, o usuário instala em seu smartphone o aplicativo Shell Box (AndroidiOS). Se já tiver uma conta PayPal registrada no aparelho, ela é associada automaticamente. Senão, é possível abrir uma conta do serviço de pagamento através do app da Shell. Feito isso, quando estiver em um posto, o cliente deve abrir o aplicativo Shell Box, clicar no botão de abastecimento e informar o número de identificação da bomba, apresentado em um monitor ao lado da mesma. A digitação desse código, que tem seis dígitos, deve ser feita durante o processo de abastecimento. Quando a mangueira é posta de volta na bomba, esta se comunica com um servidor para o qual é enviado o valor a ser cobrado. O servidor, por sua vez, verifica se algum usuário do app enviou recentemente o código de identificação daquela bomba. É checada também a localização do smartphone, para ter certeza de que a pessoa está no posto. Se tudo estiver correto, a cobrança é concluída no cartão de crédito que a pessoa tiver cadastrado no PayPal. A confirmação do pagamento aparece no monitor ao lado da bomba para o frentista. E há também a impressão da nota na impressora fiscal do posto. Vale destacar que é preciso que o smartphone tenha conexão à Internet, para enviar seus dados, caso contrário não é possível concluir a transação.

A Ipiranga também lançou este ano uma solução de pagamento através de app, o Abastece Aí, mas, no seu caso, em vez do PayPal, é necessário ter uma tag do ConectCar, no qual é feita a cobrança. A Shell avaliou a possibilidade de usar o Sem Parar, sistema de tags com o qual atualmente também se pode pagar pelo seu combustível, e acabou preferindo a parceria com o PayPal.

"Achamos mais simples porque não precisa de um device novo. E dá para abastecer qualquer carro com o Shell Box, não apenas aquele que tiver uma tag", explica Eduardo Wantuil, diretor de marketing da Raízen, empresa que licencia a marca Shell no Brasil.

A solução será estendida para vários outros postos no interior de São Paulo nas próximas semanas, totalizando cerca de 400 até o final do ano. E ao longo de 2017 será expandida para todo o País. A Shell tem hoje mais de 5,9 mil postos no Brasil.

Fidelidade

O Shell Box funciona também como um canal de relacionamento da marca com seus consumidores. Através dele, a empresa vai oferecer promoções. A primeira já está no ar: nas compras a partir de R$ 50 em gasolina aditivada ou quatro litros de lubrificantes Shell Helix ou pelo menos R$ 25 nas lojas Shell Select, o cliente concorre a 10 mil milhas do programa Smiles. Quem fizer pagamento com PayPal pelo app participa automaticamente. Outros clientes podem concorrer tirando uma foto do cupom fiscal e enviando pelo app.

Lançado no começo do ano para o projeto piloto, o Shell Box agora ganhou uma campanha de marketing com abrangência nacional e acumula mais de 100 mil downloads.

Tags: , , , , , , , , ,

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Nome (obrigatório)

E-mail (não será mostrado) (obrigatório)

Website

Mensagem (obrigatório)



Top